sexta-feira, 24 de Agosto de 2012 09:04h Gazeta do Oeste

Crise agilizou mudanças na economia e medidas do governo, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse na noite de ontem (23) que a crise econômica internacional acabou tendo efeitos positivos para o país, ao forçar mudanças que demorariam muito para acontecer de outra forma.

 

 

“A crise tem o lado positivo, porque ela acaba acelerando transformações e medidas que talvez você não tomasse durante um período normal. Você demoraria mais para fazer transformações que são exigidas durante a crise”, ressaltou ao discursar para empresários na entrega de prêmio promovido pelo jornal Valor Econômico.


Entre as medidas que foram tomadas em função da crise, Mantega destacou a diminuição da taxa básica de juros (Selic) - “talvez não ocorresse com a velocidade que está ocorrendo”- e o Programa Minha Casa, Minha Vida. “Talvez nós não tivéssemos criado o Minha Casa, Minha Vida, em 2009, se não houvesse uma forte crise no país e a gente tivesse que estimular a economia”, disse.

 

O ministro declarou ainda que devido aos cortes nos juros, a taxa atingiu um dos melhores patamares “de todos os tempos”. “O Brasil está se tornando um país normal em matéria de política monetária”, ressaltou.


Com juros reais de 2% ao ano, Mantega acredita que haverá um aumento de recursos destinados a investimentos no setor produtivo. “A partir dessa redução, há uma tendência natural de que a disponibilidade de ativos seja canalizada não mais para financiar a dívida pública, mas para financiar atividades produtivas”.

 

 

 

 

 

 

 

AGÊNCIA BRASIL

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.