quinta-feira, 12 de Março de 2015 13:55h

Debates nesta sexta (13) tratam da participação da mulher na política

Evento reúne durante todo o dia especialistas e autoridades no Plenário da ALMG ; também será lançado livro sobre a trajetória de mulheres na política

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) promove nesta sexta-feira (13/3/15), a partir das 9 horas, o Ciclo de Debates Reforma Política, Igualdade de Gênero e Participação: O que querem as mulheres de Minas. Autoridades e especialistas vão discutir os desafios para se ampliar a participação feminina na política. O evento tem programação até as 17h30 e sua realização vai marcar o Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março,
Na parte da manhã, o painel "Igualdade de gênero e reforma política: Um diálogo comparado sobre a construção da igualdade política", que começa às 10 horas, tem confirmadas as participações da presidente do Superior Tribunal Militar, ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha; da deputada federal Jô Moraes (PCdoB-MG); e da representante da Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político, Maria Amélia Souza Mendes. A deputada boliviana Susana Rivero Guzmán cancelou sua participação alegando problemas políticos no seu país que impedem sua vinda ao Brasil.

Na parte da tarde, a partir das 14 horas, será realizado o painel “Reforma política e a representação das mulheres no Brasil: Desafios atuais e propostas elaboradas”, com a participação da vereadora de Belo Horizonte Elaine Matozinhos; da coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher (Nepem-UFMG), Marlise Matos; da presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-MG), Beatriz Cerqueira; e da assessora da ONU Mulher, Benilda Regina Brito.


Livro destaca mulheres na política

Também durante o ciclo, será lançada, na abertura, a 3ª edição do livro "Mulheres na Política: As representantes de Minas no Poder Legislativo”, produzido pela Gerência-Geral de Documentação e Informação da ALMG.  O livro contém perfis biográficos e depoimentos das mulheres mineiras que participam ou participaram do Legislativo estadual e federal. A publicação chama a atenção para a baixa representação feminina nas casas legislativas do País. Ao mesmo tempo, faz uma homenagem àquelas que conseguiram superar dificuldades e entraram em um universo predominantemente masculino.
A 3ª edição foi revista, atualizada e ampliada, incluindo os perfis das parlamentares mineiras eleitas pela primeira vez para atuarem tanto na ALMG quanto no Congresso Nacional – as atuais deputadas estaduais Arlete Magalhães (PTN), Celise Laviola (PMDB), Cristina Corrêa (PT), Geisa Teixeira (PT) e Ione Pinheiro (DEM) e as federais Brunny (PTC), Dâmina Pereira (PMN) e Raquel Muniz (PSC). A atual bancada feminina na ALMG é composta por sete deputadas em um universo de 77 parlamentares – além das deputadas estreantes, foram eleitas as deputadas Marília Campos (PT) e Rosângela Reis (Pros). Na Câmara dos Deputados, com um total de 513 deputados federais em exercício, apenas 51 são mulheres, enquanto no Senado, dos 81 senadores em exercício, somente 12 são mulheres.

Para o presidente da ALMG, deputado Adalclever Lopes (PMDB), essa representação incondizente com o percentual de mulheres na sociedade gera uma situação bastante negativa para a democracia brasileira. “Quem não está suficientemente representado não dispõe de condições ideais para suas reivindicações, tornando-se mais difícil introduzir preocupações de gênero nas diferentes áreas de políticas públicas”, destaca, no prefácio do livro. Leia mais sobre a publicação.

Maioria do eleitorado e minoria na representação - No Brasil, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral, cerca de 52% do eleitorado é composto por mulheres. Em Minas Gerais, são quase 8 milhões de eleitoras, que perfazem mais de 50% dos votantes. No entanto, conforme ranking divulgado pela União Interparlamentar (UIP) no começo deste ano, o Brasil ocupa o 117° lugar em participação feminina na política, ficando atrás de países como Ruanda, Bolívia e África do Sul. Dos 513 deputados federais, apenas 51 são mulheres. E dentre os 81 senadores, apenas 12 são mulheres.

Para o Congresso Nacional, Minas Gerais elegeu até hoje apenas uma senadora e doze deputadas federais. Júnia Marise foi a única senadora (1991-99) e a primeira deputada federal mineira (1979-83). A ALMG teve apenas 31 deputadas em seus 180 anos de existência. A atual bancada de mulheres é composta por sete deputadas em um universo de 77 parlamentares: Arlete Magalhães (PTN), Celise Laviola (PMDB), Cristina Corrêa (PT), Geisa Teixeira (PT), Ione Pinheiro (DEM), Marília Campos (PT) e Rosângela Reis (Pros).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.