sexta-feira, 8 de Maio de 2015 10:54h Atualizado em 8 de Maio de 2015 às 11:00h. Jotha Lee

Deputado divinopolitano usa rede social e diz que PT é uma quadrilha que comanda o país

Domingos Sávio responsabilizou o partido pela aprovação de mudanças em regras trabalhistas

O deputado federal por Divinópolis Domingos Sávio (PSDB) postou um vídeo em sua conta de uma rede social no final da noite desta quarta-feira para criticar veemente o PT. O vídeo foi postado durante sessão de votação da Medida Provisória (MP) 665, que alterou regras de acesso ao seguro-desemprego e ao abono salarial. A MP foi votada e aprovada em uma sessão tumultuada e o deputado postou o vídeo, gravado por celular de dentro do plenário, quando as galerias foram evacuadas, impedindo que trabalhadores e sindicalistas acompanhassem a votação.
Domingos Sávio atribuiu ao PT a responsabilidade pela evacuação das galerias. “Mais um momento em que fica clara a traição do PT aos trabalhadores. O PT insiste em aprovar medidas provisórias que tiram direitos dos trabalhadores. Tiram direitos do seguro-desemprego, tiram direitos do abono salarial, tiram direitos até das viúvas, que vão ter a pensão reduzida”, criticou. “Vimos aqui, mais uma vez, os trabalhadores terem que sair das galerias, porque o PT não aceita as verdades. Os trabalhadores que aqui vieram para acompanhar a votação tiveram que sair porque o PT não suporta a verdade, porque eles [os petistas] estão traindo os trabalhadores”, alfinetou.
O deputado divinopolitano foi mais longe em suas duras críticas e afirmou que lutava para desmascarar os mascarados que “roubaram a Petrobras”. “Nós estamos lutando, estamos aqui, para desmascarar os mascarados que roubaram a Petrobras, desmascarar os mascarados que traíram o trabalhador brasileiro. Esses mascarados, cuja máscara está caindo, é o PT, é o governo da Dilma que, além de roubar a nação, roubaram o sonho dos brasileiros, roubaram a esperança dos trabalhadores. E agora tentam, mais uma vez, roubar o que há de essencial ao país, que é a democracia, porque até mesmo o direito à manifestação, eles querem impedir exigindo a saída dos trabalhadores das galerias da Câmara”, declarou.
Para Domingos Sávio, o PT é uma quadrilha que não pode mais ser aceita pelos brasileiros. “O Brasil não pode mais aceitar essa quadrilha que está no poder. Essa quadrilha que está sendo desmascarada, que diz que é partido dos trabalhadores, mas que trabalha para tirar direitos dos trabalhadores”, vociferou. “Vamos continuar lutando, porque acreditamos no Brasil. Sabemos que o governo é um desastre, mas o Brasil tem jeito, é só tirar o PT do poder”, sentenciou.

 

MEDIDA PROVISÓRIA
A Medida Provisória (MP) 665, que alterou as regras de acesso ao seguro-desemprego, ao abono salarial e ao seguro-defeso, foi aprovada no final da noite de quarta-feira pelo plenário da Câmara e transformado em lei depois de muitas discussões em torno da matéria. Foram 252 votos a favor, 227 contra e uma abstenção.
A partir de agora, o trabalhador terá direito ao seguro-desemprego se tiver trabalhado por pelo menos doze meses nos últimos dois anos. O prazo inicial proposto pelo governo era de 18 meses. Antes, o trabalhador precisava de apenas seis meses. Para poder pedir o benefício pela segunda vez, a MP estipula que o trabalhador tenha nove meses de atividade. Antes, esse prazo exigido era de seis meses de trabalho, e o governo queria ampliar para doze meses. A proposta mantém a regra prevista na MP (seis meses) se o trabalhador requisitar o benefício pela terceira vez.
Em relação ao abono salarial, o texto prevê que o trabalhador que recebe até dois salários mínimos deverá ter trabalhado por três meses para ter direito ao benefício. O texto do Executivo exigia seis meses. O abono salarial equivale a um salário mínimo vigente e é pago anualmente aos trabalhadores que recebem remuneração mensal de até dois salários mínimos. Atualmente, o dinheiro é pago a quem tenha exercido atividade remunerada por, no mínimo, 30 dias consecutivos ou não, no ano. O texto aprovado na Câmara mantém o pagamento do abono ao empregado que comprovar vínculo formal de no mínimo 90 dias no ano anterior ao do pagamento.
O deputado Domingos Sávio, a exemplo de toda a bancada do PSDB, votou contra a Medida Provisória. Já o deputado Jaime Martins (PSD) votou a favor. Martins já havia se manifestado sobre o assunto, declarando que essas regras precisam mesmo ser revistas.
Veja como votaram a MP os deputados federais que obtiveram votos em Divinópolis nas eleições do ano passado
DEPUTADO PARTIDO VOTO
Leonardo Quintão PMDB Sim
Newton Cardoso Júnior PMDB Sim
Saraiva Felipe PMDB Sim
Dimas Fabiano PP Não
Odelmo Leão PP Não
Aelton Freitas PR Sim
Bilac Pinto PR Sim
Ademir Camilo PROS Não
Caio Nárcio PSDB Não
Bonifácio Andrada PSDB Não
Marcus Pestana PSDB Não
Adelmo Carneiro Leão PT Sim
Reginaldo Lopes PT Sim
Welinton Prado PT Não
Luis Tibé PT do B Sim
Pastor Franklin PT do B Não

 

Fonte: Câmara dos Deputados
Crédito: Macedo/Câmara dos Deputados
Crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.