sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2012 14:08h Atualizado em 4 de Fevereiro de 2012 às 18:17h. Flávia Brandão

Deputado diz que há estudo para instalação de grande indústria em Divinópolis

A atração de indústrias para Divinópolis é algo que vem sendo cobrado e articulado pelas entidades de classe como noticiado na última semana pela Gazeta do Oeste. Como fator importante nessa atração foi citada a articulação de lideranças políticas

A atração de indústrias para Divinópolis é algo que vem sendo cobrado e articulado pelas entidades de classe como noticiado na última semana pela Gazeta do Oeste. Como fator importante nessa atração foi citada a articulação de lideranças políticas com o Governo de Minas no sentido de construir parcerias. O deputado federal, Domingos Sávio (PSDB), reconhece a importância dessa articulação entre governo municipal, estadual e federal, mas avalia que não há motivos para pessimismo e adiantou que Divinópolis está cotada para receber uma grande empresa.
Para Domingos o surgimento de uma grande indústria em determinado município é determinado por uma série de fatores, sendo que a articulação política é um deles. “Quase sempre essas empresas além de terem seu objetivo industrial ou comercial precisam de algum tipo de apoio como financiamento ou incentivos fiscais e é nessa hora que entra o aspecto político”, declarou.
No entanto, o parlamentar ressalta que é importante considerar que nessa série de fatores existe um que é se coloca como o principal e que não depende de vontade política, no caso o mercado.  Além disso, o parlamentar ressalta que há fatores de ordem pessoal já que o empresário pode escolher determinada cidade e não haverá possibilidade de articulação política para fazê-lo mudar de ideia. Outro ponto é que assim como Divinópolis outras cidades também se colocam como candidatas oferecendo as mesmas condições para atração de grandes indústrias.
Infraestrutura
Domingos considera que Divinópolis tem sim uma infraestrutura empresarial “atrativa”, onde há o oferecimento de energia superior a de outros municípios, mão de obra qualificada com cursos de formação profissional, universidades, hospitais, etc. Além disso, é importante considerar os investimentos feitos no aeroporto, que serão concluídos com o Terminal de Passageiros, complementando essa infraestrura. No entanto, Domingos reconhece que Divinópolis ainda tem demandas a serem cobradas dos governantes como a duplicação da MG-050 e a melhoria da estrutura ferroviária.
Investimentos
O parlamentar ressalta que ao contrário de que “alguns teimam em querer dizer” Divinópolis não parou no tempo e tem sim recebido investimento por parte de empresários já instalados e com a vinda de pequenas e médias indústrias.  Ele cita que Divinópolis está é um das cidades mineiras, que mais cresceu, nos últimos anos, apresentando mais ofertas de empregos e uma economia diversificada (confecções, fundições, siderurgias, serviços e comércio). “Não temos motivos para entrar em um processo de pessimismo. Até para sermos competitivos e atrair as empresas ou mesmo fazer com que as que estão aqui continuem crescendo temos que ter o cuidado para não confundir a nossa disposição para lutarmos para sermos mais eficientes com sermos pessimistas, de tentar passar ideia que somos piores do que os outros”, declarou.
Articulação
A reportagem questionou está à articulação das autoridades políticas de Divinópolis junto à pasta de Desenvolvimento Econômico do Governo Mineiro e se há trânsito para influenciar investimentos. Em reposta, o deputado disse que tem tido contato com a secretária Dorothea Werneck e antes foi recebido várias vezes pelo secretário, que a antecedeu, tanto é que nessa época foi assinado o protocolo com a Proema e com outras empresas. “Infelizmente não deu certo, mas não faltou boa vontade, naquilo que dependia dos políticos fazerem, nós fizemos”, declarou.
Nova empresa
Domingos Sávio anunciou que um estudo de uma grande empresa, que pode vir a se instalar em Divinópolis, na área de industrialização de vidros. Domingos preferiu guardar sigilo sobre o empreendimento. “Não posso detalhar, até porque as empresas se reservam ao direito de exigir sigilo, quando elas começam a estudar a possibilidade de investimento no estado. Isso acontece por razões óbvias porque são empresas, que tem ações nas bolsas de valores e uma informação precipitada tanto pode prejudicá-la como ajudá-la”, declarou. No entanto disse que trata de grandes investimentos e já está havendo articulação com o Governo de Minas, para que interfira também a favor de Divinópolis em algum tipo solicitação, que a empresa venha a fazer como financiamentos ou algumas políticas tributárias.
Proema
A reportagem questionou a situação do protocolo de intenções da Proema, que o prefeito Vladimir alegou a imprensa que a empresa vive um problema societário, mas não pronunciou ainda se haverá ou não a instalação em Divinópolis. Em resposta Domingos - que acompanhou a assinatura do protocolo - disse que o que esta definido é que a Proema já deveria ter instalado, no entanto em face do agravamento da crise econômica, em 2009, associada à mudança no quadro societário da empresa houve mudanças nos planos de investimentos e diante disso a empresa até hoje não iniciou obras.
Nesse contexto, o parlamentar defendeu que o que cabia ao município e ao estado fazerem foi feito e caso haja alternativa melhor para a área reservada a Proema a mesma será utilizada. “Na medida, que a Proema não está cumprindo a sua parte no protocolo outro investidor pode ocupar aquele espaço. Obviamente isso será feito com os devidos acordos e providências legais porque foi um protocolo de intenções assinado com a PROEMA e até que ela formalmente não desista a preferência é dela”, disse.
Disputa política 
Domingos ressaltou que é muito comum esse tipo de cobrança “de quem está fora do poder” para criar uma disputa política para culpar o Governo Municipal. “Se você voltar no tempo essas pessoas, que ficam culpando, já estiveram no poder e nem por isso foram capazes de trazer esse tipo de investimento”, declarou. O parlamentar salientou que ficar querendo responsabilizar autoridades políticas pela presença ou ausência de investimentos deve-se no mínimo ter cuidado para não ser injusto. “A prova disso é que no caso de Divinópolis os protocolos de intenção, que foram feitos, o que dependia do município foi feito e mesmo o que dependia do estado, as empresas desistiram por outras razões”, declarou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.