terça-feira, 10 de Fevereiro de 2015 11:51h Jotha Lee

Deputado e vice-prefeito cobram pressa no início do tratamento do esgoto

Vice-prefeito anuncia construção de barragem entre Divinópolis e São Sebastião do Oeste

O deputado federal Jaime Martins (PSD) e o vice-prefeito de Divinópolis Rodrigo Resende (PDT) uniram forças para cobrar agilidade da Copasa na conclusão da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do rio Itapecerica. Somente com a finalização dessa obra, a ser realizada através de Parceria Público-Privada, é que 100% do esgoto produzido pela cidade receberá o tratamento adequado.
A taxa de tratamento do esgoto está sendo cobrada dos usuários divinopolitanos desde janeiro de 2012. A cobrança vem embutida na conta mensal e representa 50% do valor do consumo de água. A partir do ano passado, 10% dos consumidores passaram a pagar taxa de 90%, após o início das operações da ETE do Rio Pará. Esse mesmo percentual será cobrado do restante dos consumidores com a conclusão da ETE do Rio Itapecerica.
No final da última sexta-feira, o deputado Jaime Martins e o vice-prefeito Rodrigo Resende se reuniram em Belo Horizonte com a presidente da Copasa, Sinara Meireles, e com o diretor de operações da companhia na região Centro/Leste, Frederico Ferramenta. O deputado explicou que o principal objetivo foi cobrar agilidade na construção da ETE do Rio Itapecerica.
“Viemos demonstrar nossa preocupação em relação à PPP que está em processo licitatório desde o governo passado. Recebemos a promessa da Copasa de que esse processo será acelerado no limite das possibilidades legais, para que essas obras possam ser iniciadas em alguns meses”, disse Jaime Martins.
Jaime Martins afirmou ainda que, além do tratamento do esgoto, outra preocupação é a perenização do Rio. “Isso e a captação de água por parte da Copasa muito nos preocupam e apresentamos algumas ideias e sugestões, entre elas a recuperação da barragem que já existe no rio [Itapecerica] e talvez a construção de uma nova barragem já nos limites da divisa com São Sebastião do Oeste para a retenção da água”, informou. “Essas barragens visam conter o excesso de água que vem no período chuvoso, servirão como reservatório para captação e também poderão segurar a perenização do rio durante todo o ano”, acrescentou.

 

PROJETO
O vice-prefeito Rodrigo Resende disse que a Dam Engenharia, empresa contratada pelo município para fazer o projeto de desassoreamento da calha do rio na área urbana, já concluiu parte do levantamento e os dados iniciais foram apresentados à Copasa na reunião da última sexta-feira. “O projeto vai contemplar contenção de encostas e desassoreamento da calha do rio”, informou.
Sobre a barragem, o vice-prefeito disse que o governo do município sabe de sua importância para a sobrevivência do Itapecerica. “No final do ano passado nós vimos o rio com pouca água, os aguapés tomaram conta e a recuperação dessa barragem é importante, pois no período chuvoso a água será retida para evitar grandes enchentes e no período de seca, haverá volume de água suficiente”, explicou.
Resende disse que no final do ano passado a Copasa teve que retirar 80% da água disponível no rio para garantir o abastecimento da cidade. O vice-prefeito admitiu que se não forem adotadas medidas corajosas, o abastecimento de Divinópolis estará comprometido. “Se essa seca perdurar por mais anos, vamos ter problemas gravíssimos com o rio Itapecerica”, afirmou.
O diretor de operações da Copasa, Frederico Ferramenta, garantiu que o pedido formulado pelas autoridades divinopolitanas para maior agilidade na construção da ETE do rio São Itapecerica será atendido pela Copasa. “Com certeza estamos trabalhando e preocupados em acelerar essas obras”, garantiu.
Sobre projetos para perenização do Rio com a participação da Copasa, ele disse que a companhia vê essa iniciativa com bons olhos. “Vamos proceder a estudos nas demais áreas da Copasa para realizar projetos que possam melhorar o abastecimento na cidade de Divinópolis”, finalizou.

 

Crédito: Assessoria

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.