Deputado federal aponta a importância da votação da lei nacional antidrogas no Congresso

Segundo, Domingos Sávio, se aprovado o projeto permitirá que a família do usuário possa agir em sua defesa

O deputado federal, Domingos Sávio (PSDB), na última segunda-feira (27) ressaltou sobre a importância da votação da lei nacional antidrogas que seria colocada em pauta no Congresso pelos deputados para ser votada até ontem no decorrer da noite. Para ele, esta lei é fundamental pelo fato de hoje se ter a pior e maior epidemia no Brasil, a epidemia das drogas.

Conforme o deputado para que se consiga combater as drogas é preciso de ações dirigidas ao ser humano que é vítima, aquele ser humano que é dependente químico, que está destruindo a sua vida e a de sua família. Conforme o deputado federal, este dependente precisa de uma chance para se recuperar, mas para isso é preciso ter estrutura pública, preparada para atender a este dependente químico.

Na legislação estão se criando mecanismos para apoiar desde as casas de acolhimento, as comunidades terapêuticas e até a estrutura do SUS para a internação. “Estamos definindo sobre a internação voluntária daquele que está consciente do seu problema e voluntariamente procura ajuda.

Está havendo também uma definição de internação involuntária que é aquele indivíduo que já perdeu qualquer consciência, em que a família pede socorro e que a mesma assina por ele para que seja feita a internação com o apoio de um médico que demonstre que a pessoa está num grau de dependência química tão grande que ele já não consegue responder conscientemente sobre os seus atos aí é preciso que a família tome uma atitude, por enquanto a lei não permite isso”, afirmou.

Entretanto, com a votação da lei nacional antidrogas o que vai ser mudado será a permissão que a família vai adquirir para agir em defesa da pessoa que está vítima das drogas a tal ponto de não saber mais o que quer. Isso ocorre quando o dependente vai morar nas ruas, e às vezes a família quer ajudar e não tem como. A lei vai permitir que a família com o apoio de um médico possa requerer a internação dessa pessoa.

Domingos Sávio disse que é necessário enfrentar o crime, ou seja, a lei à princípio tem o aspecto de apoiar a vítima, ajudar a recuperar este ser humano, mas é preciso segundo ele, endurecer a pena contra aqueles que trabalham criminosamente para destruir vidas. “Na minha opinião, o traficante mata mais do que um assassino, porque sai distribuindo armas, vive em apartamentos de luxos, este precisa ser condenado de maneira dura porque sabe que aquela droga está matando, e mesmo assim continua vivendo disso.

O tráfico tem que ser combatido e vamos votar esta lei para que a mesma tenha as punições mais severas”, finalizou.
Até o fechamento desta edição, a reportagem não obteve o resultado dos votos. Segundo o deputado a votação poderia se prolongar até o decorrer da noite de ontem.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.