Deputados articulam reajuste de 25% em verba própria

Os deputados pressionam ainda pelo aumento da cota voltada a gastos com divulgação, consultoria e combustíveis, que vai de R$ 23 mil a R$ 33,5 mil.

A Câmara dos Deputados articula um reajuste de 25% para verba para gastos dos deputados. Hoje, cada parlamentar tem direito a R$ 60 mil por mês para custos de gabinete. A cúpula da Casa negocia que o valor vá para R$ 75 mil, o que acarretaria em um adicional de R$ 92,3 milhões ao ano.

 


Segundo reportagem de um jornal paulista, a justificativa é que os salários estão congelados por quatro anos. Os deputados pressionam ainda pelo aumento da cota voltada a gastos com divulgação, consultoria e combustíveis, que vai de R$ 23 mil a R$ 33,5 mil.

 


Cada deputado pode ter até 25 funcionários por gabinete, mas fisicamente em Brasília ficam somente cinco. O restante fica distribuído nos Estados.

 


Os deputados vêm pressionando o presidente Marco Maia a por em pauta o reajuste, já que essa foi uma das bandeiras que, segundo a reportagem, o elegeu para o comando da Casa.

 


O último reajuste foi feito em 2008, quando passou de R$ 50,8 mil, fixado três anos antes, para os atuais R$ 60 mil. Os salários dos assessores dos deputados variam de R$ 664 a R$ 6,2 mil, além de auxílio-alimentação de R$ 741.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.