terça-feira, 10 de Janeiro de 2012 09:56h Flávia Brandão

Diante de defesa equivocada, PRTB dá novo prazo a Milton Donizete

Milton Donizete ganha mais cinco dias para se defender de pedido de expulsão do PRTB

O processo interno do PRTB pedindo a expulsão do vereador Milton Donizete do quadro partidário, pelo fato de não ter seguido as recomendações da legenda referente à eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Divinópolis teve novos desdobramentos. De acordo com o presidente da estadual, Jorge Periquito, o vereador apresentou uma defesa equivocada dos fatos elencados na representação e diante disso foi concedido novo prazo, com mais cinco dias, para que seja apresentada nova defesa.
Jorge Periquito disse que o vereador foi novamente notificado no último dia (6) e, portanto terá até na próxima quinta-feira (12) para apresentar novo documento. Como noticiado pela Gazeta do Oeste, Jorge Periquito direcionou, nos dias 23 e 27 de dezembro, a Câmara Municipal de Divinópolis e ao gabinete de Milton Donizete recomendações expressas da estadual do PRTB para que o edil não compusesse chapa e não declarasse publicamente seu voto em relação à eleição da Mesa Diretora, no entanto o edil compôs chapa e foi eleito 2º secretário da atual Mesa Diretora.
O presidente explica que a Comissão de Ética do PRTB, que é a responsável pelo julgamento do caso, entendeu que a defesa de Milton Donizete não tinha a “substância” do que tratava a representação. “A representação expressa do partido foi para a votação da Mesa Diretora e não da destituição da Comissão Provisória de Divinópolis”, explicou.
Jorge Periquito disse que acredita que Milton Donizete não seja o autor da defesa pelo linguajar utilizado, sendo que os argumentos utilizados mostram que o edil “está muito mal assessorado” já que em nenhum momento foi justificado o porquê da desobediência a orientação do PRTB, já que foi isso que motivou a representação contra o parlamentar. Jorge Periquito avalia que a distorção possa ser uma “forma de querer ganhar tempo”.
Perda de mandato
Questionado se com essa atitude é certo que o vereador perderá o mandado, Jorge Periquito preferiu não posicionar. “Não vou fazer esse tipo de julgamento porque não faço parte da Comissão de Ética. Mas posso dizer é que se ele não prestar as informações que o Conselho de Ética tem solicitado ele pode sofrer como pena a perda do seu mandato, até porque a representação pediu expressamente a sua expulsão por infidelidade partidária”, declarou.
Jorge Periquito argumenta que o edil já poderia ter sofrido “impedimentos” pelo Conselho de Ética do PRTB. “O Conselho poderia entender que ele não quis se defender e ter julgado, mas por questão  de bom senso e pela relação que o PRTB tem com o vereador, até de carinho e respeito, entendendo que ele está sendo mal orientado  ou assessorado, o Conselho decidiu dar um novo prazo para que dessa vez  ele explique de forma explícita, objetiva e direta em relação aos dois ofícios, que foram protocolados tanto na Câmara e no gabinete dele”, explicou.
A reportagem entrou em contato com a assessoria de Milton Donizete para que o edil se posicionasse sobre os argumentos da defesa, mas até o fechamento da edição não obtivemos resposta.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.