quarta-feira, 4 de Fevereiro de 2015 09:20h Atualizado em 4 de Fevereiro de 2015 às 09:26h. Jotha Lee

Discursos inflamados marcam primeira reunião do ano na Câmara

Doença de esposa afasta presidente da primeira sessão de 2015

A primeira sessão do ano da Câmara Municipal de Divinópolis foi marcada pela ausência do presidente da Casa, vereador Rodrigo Vasconcelos de Almeida Kaboja (PSL), cuja esposa, Flávia, enfrenta graves problemas de saúde. Ontem ela teve que ser submetida a uma cirurgia de emergência no intestino, sendo encaminhada para Belo Horizonte, onde ocorreu a intervenção cirúrgica. De acordo com o secretário geral da Câmara, Flávio Ramos, Rodrigo Kaboja seguiu para a capital onde acompanha o tratamento de saúde da esposa.
Ramos disse ainda que o presidente permanecerá ausente esta semana. Até o final do dia, ainda não havia informações sobre o estado de saúde de Flávia. A Câmara não forneceu mais detalhes sobre o procedimento cirúrgico. Na ausência do presidente, a primeira reunião do Legislativo no ano foi presidida pelo vice Oriosmar Pinheiro, o Careca da Água Mineral (PROS).
A sessão foi marcada por alguns discursos inflamados, entre eles o do vereador Delano Santiago (PRTB), que nesse período de recesso também teve que ser internado. Santiago disse que foi acometido por um espasmo coronariano, seguido de uma hérnia de disco e frisou que já está bem de saúde e exercendo todas as suas atividades com normalidade. Disse em seu pronunciamento que houve comentários maledicentes, motivo pelo qual usava a tribuna da Câmara para estabelecer a verdade.

 

CONFRONTOS
Sem projetos para votar, a sessão se limitou a discursos inflamados. Delano Santiago fez duras críticas ao governo federal, especialmente pelo aumento da taxa de juros para pessoa física e a elevação da inflação. Santiago lembrou as manifestações do ano passado e incitou o povo a voltar às ruas para protestar contra a atual situação econômica do país.
O vereador Nilmar Eustáquio (PSL) cobrou resposta dos deputados com base em Divinópolis eleitos na cidade sobre o pedido apresentado pela Comissão Especial, nomeada no ano passado, para apurar as causas da crise financeira do Hospital São João de Deus. “Estou esperando a resposta dos deputados e eu não vou esquecer o nosso pedido para que eles nos ajudem a apurar a roubalheira no hospital”, frisou.
O vereador Rodyson Kristinamurt (PSDB) também criticou o governo federal e afirmou que o município continuará enfrentando dificuldades em razão da baixa arrecadação. Adair Otaviano (PMDB) criticou duramente o governo municipal, especialmente pelo contínuo parcelamento da dívida com o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (Diviprev). Para Otaviano, essa situação vem se repetindo motivada pela irresponsabilidade do governo.
O vereador Edmilson Andrade (PT) revelou que no período de recesso conseguiu emagrecer 17 quilos. “Eu ficava até com vergonha de ser presidente da Comissão de Saúde e gordo”, afirmou. No entanto, Andrade focou seu pronunciamento em respostas aos críticos do governo petista. “O que me deixa triste é quando pessoas atacam o PT e se esquecem de seu partido, que tem senador sendo investigado por construir aeroporto e dar a chave para o tio, tem senador investigado no caso do petrolão”, atacou.
Adilson Quadros (PSDB), indicado o novo líder do prefeito na Câmara, respondeu às críticas de Adair Otaviano sobre os parcelamentos com o Diviprev afirmando que o município enfrenta problemas de caixa, mas também lembrou que situação semelhante ocorreu no governo de Galileu Machado. “Durante o governo do PMDB ficaram quatro anos sem contribuição na Previdência e Demetrius [prefeito que sucedeu Galileu em 2005] teve que fazer o financiamento de toda aquela dívida que não foi paga”, alfinetou.

 

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.