quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014 03:53h Atualizado em 30 de Janeiro de 2014 às 03:59h. Carla Mariela

Divinópolis recebe técnicos da Controladoria Geral da União

o principal objetivo da vinda destes técnicos é auditar o processo licitatório realizado na gestão 2005/2008 de transposição da malha ferroviária que corta a região urbana de Divinópolis

O município de Divinópolis recebeu recentemente os técnicos da Controladoria Geral da União (CGU). Conforme o controlador geral da prefeitura da cidade, Gilberto Machado, o principal objetivo da vinda destes técnicos é auditar o processo licitatório realizado na gestão 2005/2008, em que foi contratada a empresa Veja Engenharia e Consultoria responsável pela elaboração de projeto executivo de transposição da malha ferroviária que corta a região urbana  de Divinópolis.
A licitação, realizada em gestão anterior aos mandatos do prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), é fruto de convênio firmado com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em 2006, no valor de R$2 milhões.  Em agosto de 2007, termo aditivo foi assinado ampliando o valor do contrato para R$3,5 milhões.

Segundo Beto Machado, o seu papel como controlador é garantir o exercício da completa transparência e cumprir a missão constitucional de zelar pela atuação da Administração Pública. Neste sentido a controladoria recebeu dois auditores da CGU e disponibilizou espaço físico para a execução dos trabalhos da equipe, além de todos os documentos relacionados ao processo que pretende auditar. Beto Machado afirmou que os técnicos permanecerão em Divinópolis até amanhã.
Em contato com a assessoria da CGU, o assessor disse que quanto a visita não podia ainda antecipar nada porque o trabalho está em andamento. Porém, dará um parecer assim que estes trabalhos estiverem encerrados.
Apesar da averiguação por parte dos técnicos, em entrevista no mês de junho do ano passado, o vice-prefeito Rodrigo Resende (PDT) adiantou para a Gazeta que o projeto de transposição de trilhos em Divinópolis deverá ser concluído em até três anos. Segundo ele, essa obra é extremamente importante para Divinópolis, pois significará um grande avanço para o transporte urbano e também para o tráfego já existente, além de ser um chamativo de investimentos: “Eu tenho acompanhado tudo muito de perto. Estamos agora atendendo a última condicionante colocada para a inicialização do projeto, que é uma questão do IPHAM, observando os patrimônios históricos que tem em meio ao contorno ferroviário. Já entramos com a documentação no IPHAM (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)”, disse Rodrigo.

Ainda de acordo com Rodrigo Resende, o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) já está comunicando às pessoas que serão desapropriadas e as primeiras desapropriações serão realizadas no Jardinópolis, onde será o túnel, e próximo à região dos Paivas, pois acontecerá uma passagem por cima do rio Itapecerica.

Essa nova passagem férrea vai começar no pontilhão de Carmo do Cajuru, passar por trás de Divinópolis e vai sair diretamente em Ermida, próximo ao bairro Primavera. A transposição de trilhos para ele é um debate antigo na região. Porém, há uma grande expectativa em torno dos avanços nas negociações para o início das obras. “O transporte urbano deverá melhorar com essas obras. Segundo o vice-prefeito, é possível que seja implantado um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), saindo de Ermida e indo até Cajuru, por exemplo, ou tendo como ponto final a estação divinopolitana, próximo ao Pronto Socorro Regional. O único que ficará ativo é o Ramal de Lavras, de aproximadamente seis quilômetros, para manutenção dos vagões e locomotivas. Esse trecho marca a divisão de bairros como Esplanada e São José e Esplanada e Belvedere. Esse trilho é importante para a ferrovia, pois esta faz as manutenções nas máquinas utilizando aquele trecho”, enfatizou.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.