Divinopolitanos cobram transparência nas informações sobre o coronavírus.

Grupos de risco, funcionamento de comércios e demais dúvidas da população são temas abordados na câmara dos vereadores.

Cristiano Medeiros

 

            Contando novamente com falas voltadas ao tema da pandemia do novo coronavírus, as demais cobranças referentes ao funcionalismo público ficaram em segundo plano na última reunião dos vereadores da quinta-feira (19), antes da suspensão das atividades prevista para durar 15 dias.

Em meio ao cumprimento de decreto municipal, várias foram as dúvidas da população a respeito do vírus que vem se alastrando mundo afora. Na reunião ordinária a vereadora Janete Aparecida (PSD) fez questão de tocar no assunto, e dizer que vem sendo procurada pelas pessoas para que consigam esclarecimentos.

Tendo em  vista que medidas sejam tomadas, a vereadora utilizou de sua fala para alertar que muitas pessoas em Divinópolis permanecem sem informações, e nenhum portal é criado para ajudar os cidadãos. Além disso, grupos de risco, como idosos, grávidas e pessoas com imunidade baixa, continuam transitando pela cidade e por locais de fácil disseminação da doença. Em outrora, alertou para que uma fiscalização maior seja feita em locais de grande transição da população, como por exemplo a rodoviária, e o fechamento das portas de shoppings pela cidade.

Logo após emendou questionamentos referentes à higienização da população, conjunto com a disponibilidade de produtos existentes, e o funcionamento de comércios específicos como supermercados e farmácias, que são de suma importância em momentos caóticos como o atual. E por fim, fez cobranças por posicionamentos mais claros referentes ao trabalho de Agricultores e demais produtores rurais que também se encontram prejudicados. Todos esses assuntos provenientes de questões impostas pela sociedade.

Para além da fala da vereadora, as cobranças por parte de seus colegas de bancadas giraram em torno deste assunto em especial, os comércios em Divinópolis e como colocar para funcionar somente o que é necessário.

O vereador Matheus Costa (PPS), formulou um documento que já conta com algumas assinaturas dos demais vereadores, e futuramente será entregue ao executivo municipal. O documento tem por intuito isentar e colaborar com impostos municipais em momentos como esse, em que nem todos os comércios se encontram em funcionamento, ou tem trabalhado com carga horária reduzida. A ideia visa que as ações sociais sejam consideradas em primeiro plano, deixando lucros para uma outra hora.

Por fim, denúncias com cunho apelativo para obras e demais situações vigoraram em menor escala na 13° reunião do ano. Com cobranças para as operações tapa buraco, patrolamento para zonas rurais, abertura de rua e a difícil locomoção interna.  

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.