sábado, 26 de Abril de 2014 05:57h Atualizado em 26 de Abril de 2014 às 06:00h. Jotha Lee

Domingos Sávio diz que Petrobras está infestada de parasitas e a serviço da corrupção

Depois de uma pesada queda de braço entre governo e oposição, finalmente deverá ser instalada na semana que vem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) exclusiva para investigar denúncias contra a Petrobras.

A maior empresa brasileira está envolvida em um mar de escândalos, que vai desde a compra de uma Refinaria em Pasadena, nos Estados Unidos, até lavagem de dinheiro. As denúncias pipocam diariamente nos noticiários e a presidente da empresa, Graça Foster, até agora não conseguiu dar nenhuma resposta convincente.
A oposição, liderada pelo PSDB, iniciou uma disputa com os governistas há 20 dias para a instalação de uma CPI exclusiva para investigar a Petrobras. O governo insistia em uma CPI ampla, para investigar casos de corrupção em São Paulo, estado governado pelo PSDB, e Pernambuco, governado pelo PSB. Como tem maioria no Congresso, o governo chegou a barrar a CPI exclusiva, mas a oposição foi ao Supremo Tribunal Federal, onde entrou com um mandado de segurança, obtendo liminar favorável à instalação de uma comissão unicamente para investigar a Petrobrás.

 

DOMINGOS SÁVIO
O deputado federal por Minas Gerais, Domingos Sávio (PSDB), líder da oposição na Câmara, foi um dos autores do requerimento que pediu a instalação da CPI. Em entrevista à Gazeta do Oeste ele afirmou que a resistência governista à CPI exclusiva foi “praticamente uma confissão de culpa”. “O requerimento de pedido da CPI atendeu a todos os preceitos constitucionais: número de assinaturas suficiente, objetivo específico para fazer a investigação e a Comissão Parlamentar de Inquérito uma vez atendendo a esses dois pressupostos, tem que ser automaticamente instalada. Infelizmente o presidente do Congresso, Senador Renan Calheiros (PMDB), atendendo aos interesses do governo e não aos interesses do país, tentou engavetar de todas as formas”, acrescentou
O deputado divinopolitano disse ainda que agora é uma decisão do Supremo e a Constituição tem que ser respeitada. “As minorias têm que exercer o seu direito de fiscalizar, porque se isso deixar de existir não apenas a Petrobras fica no prejuízo de não ter a ação para corrigir os problemas. Se nós perdermos a prerrogativa das minorias poderem fiscalizar, exercendo o mandato que o povo nos concedeu, perde o sentido a existência do parlamento, perde o sentido essencial da democracia, que é a independência entre os poderes. Se o Executivo, por ter maioria no Congresso, só pelo fato de ter maioria, impedir qualquer ação fiscalizadora das minorias, isso é o fim da democracia. Portanto, essa decisão do Supremo não é importante somente para a Petrobras, é importante para garantir a continuidade da democracia no Brasil”, afirmou.

 

PARASITAS
Domingos Sávio afirmou ainda que estão ocorrendo situações absurdas na Petrobras. Para ele, o resultado é visível, “com a empresa sangrando, definhando, caindo de valor, já tendo perdido mais de R$ 200 bilhões”. Para ele, o que a oposição quer é salvar a Petrobras.
“Esse governo que aí está mente tanto que agora ele quer passar a ideia de que a oposição, ao investigar a Petrobras, está prejudicando a empresa. A Petrobras está infestada de parasitas, estão sugando a Petrobras. O que queremos é investigar e combater esse parasitismo partidário. Colocaram a Petrobras a serviço de um partido político, a serviço da corrupção, e nós temos que colocar a Petrobras novamente a serviço do povo brasileiro e é o que nós queremos com essa CPI”, finalizou Domingos Sávio.

 

Crédito da foto : Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.