sexta-feira, 18 de Outubro de 2013 11:46h

Domingos Sávio fala sobre a demora na privatização dos aeroportos

Mudanças no edital do leilão de aeroportos revela fracasso do governo no setor, afirma o deputado federal Domingos Sávio.

Ajustes no edital do leilão dos aeroportos de Galeão, no Rio de Janeiro, e Confins, em Belo Horizonte, para ampliar a concorrência entre os consórcios revela a incompetência da gestão petista na administração do setor de infraestrutura. Essa é a avaliação do deputado Domingos Sávio (MG). O objetivo do governo é evitar a concentração de interesse por Galeão e um fracasso na licitação de Confins. No entanto, para o tucano, a mudança das regras mostra que o governo fracassou na concessão dos aeroportos para a iniciativa privada.

"O PT tem feito o Brasil pagar um preço muito caro por sua incompetência e por teimar em não aprender com a história aquilo que é bom para o país. O PT foi radicalmente contra a privatização, acusando o PSDB de estar vendendo o país, demorou 10 anos para aprender a lição de que a privatização é necessária em algumas áreas, mas mostrou que é um péssimo aluno e não consegue fazer aquilo que deveria ser feito", afirmou nesta quinta-feira (17).

Segundo reportagem do jornal "O Estado de Paulo", as regras do leilão não permitem que um mesmo consórcio arremate os dois aeroportos. Por isso, alguns grupos haviam sinalizado ao governo que iriam priorizar Galeão e não fariam nenhuma oferta por Confins. Como o aeroporto mineiro é menos atrativo, o receio dos consórcios é o de que sejam os únicos a fazer um lance por Confins e o arrematem, o que automaticamente os retiraria da disputa pelo Galeão.

Para evitar que isso ocorra, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou normas que estimulam os consórcios a fazer propostas pelos dois aeroportos e oferecem soluções para a eventual possibilidade de que um mesmo grupo faça o melhor lance por Confins e Galeão. Nessa hipótese, ele só será considerado vencedor do aeroporto cuja proposta corresponda ao maior valor ofertado, em termos absolutos, de acordo com o "Estadão".

Sávio declarou que a falta de competência do governo na questão prejudica o país. "Com a incompetência do PT o país continua patinando. O edital para a licitação dos aeroportos é mal feito e acaba não despertando interesse da iniciativa privada. Ao mudar o edital, o governo o coloca sob suspeição, porque muda a regra com o jogo em andamento. O PT está fazendo muito mal ao Brasil", disse. "Essa é uma demonstração de que o Brasil vem perdendo credibilidade e isso afeta na hora de atrair investimentos para o país", completou.

A mudança nos editais não impede o fracasso em Confins. Se o mesmo grupo oferecer a melhor proposta pelos dois, optar por Galeão e tiver sido o único a ter feito lance por Confins, o aeroporto mineiro ficará sem vencedor, destaca a reportagem.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.