quarta-feira, 13 de Maio de 2015 10:26h

Economia aos cofres públicos é prioridade para o Vereador Rodyson

Licitação para manutenção da iluminação pública abaixa R$ 1,22 no custeio, e economia pode chegar aos R$ 40 mil por mês

A iluminação pública de Divinópolis é uma questão que vem sendo discutida há muito tempo pelos líderes políticos da cidade. E o Vereador Rodyson Kristnamurti (PSDB), foi um dos que mais aclamou por melhorias nas condições da iluminação do município, a exemplo do projeto de implantação da tecnologia Led nos mais de 30 mil postes em uso na cidade.

Porém, o Poder Executivo em uma iniciativa de urgência enviou a Casa Legislativa um projeto de adesão ao Consórcio Intermunicipal Vale do Piranga, para que a matéria fosse discutida pelos parlamentares colocando em questão a necessidade de se fazer a manutenção das cerca de 900 lâmpadas de vapor de sódio que queimam por mês no município. Todavia, a matéria que entrou na pauta da Câmara Municipal no dia 10 de março de 2015, não foi aprovado pelos edis, e neste caso o Executivo achou por bem fazer um orçamento licitatório mais em conta do que o valor que o Consórcio orçado em R$5,20 a manutenção de cada poste da lâmpada de vapor de sódio.

Dai então, inciou-se o grande desafio do Vereador Rodyson ao apresentar uma solução mais eficaz, ambientalmente correta, além de ser econômica para os cofres municipais, se fosse feita a troca das lâmpadas pela tecnologia Led. “Nós já vinhamos avisando desde que entrou em vigor a resolução da Aneel a qual transfere para os municípios a responsabilidade de fazer a manutenção da iluminação pública em todo o Brasil, que teríamos um custeio muito alto para manter as antigas lâmpadas de vapor de sódio. Apresentamos o projeto de implantação da tecnologia Led no município, porém houve um certo receio com relação ao financiamento necessário para a troca dos 30 mil postes. O grande desafio de Divinópolis agora é conseguir fazer a manutenção, a extensão, a expansão e a eficientização, ou seja a troca das lâmpadas dos postes apenas com a verba vinda do pagamento da taxa de iluminação pública, uma vez que as lâmpadas de sódio são muito mais caras que as de Led”, explicou Rodyson.

Devido os Vereadores não terem aprovado o projeto do Consórcio Intermunicipal Vale do Piranga, foi feita posteriormente uma licitação entre empresas que tem condições fazer a manutenção dos postes, a qual baixou o preço estipulado pelo Consórcio de R$5,20 para R$ 3,98, o que poderá gerar uma economia de cerca de R$ 40 mil por mês aos cofres públicos. “Dos 30 mil postes existentes hoje em Divinópolis, a manutenção de cada um deles é de R$30,74 e, é por isso que insistimos na ideia de trocarmos todos os postes para a tecnologia Led que tem o custeio de R$5,22 cada poste, com essa economia dá para manter os postes em uso e ainda fazer a expansão nos bairros onde não há luz”, frisou o Vereador.

Hoje Divinópolis tem 5 mil lâmpadas queimadas que fazem parte da primeira etapa da licitação que será feita a manutenção das cerca de 900 lâmpadas queimadas por mês. “ A minha luta é para que troque todas as lâmpadas de vapor de sódio para as de Led, porém este é um processo gradativo e de longo prazo ainda para o município”, comentou Rodyson.

Para o Vereador, o lado benéfico de todos estes acontecimentos é que com a nova licitação feita para a manutenção dos postes, ficou mais do que evidente que há possibilidade de economizar tanto na manutenção quanto na expansão da iluminação pública. O outro ponto positivo é que todo novo empreendimento imobiliário, a exemplo dos loteamentos deverão ser implantadas as novas lâmpadas de Led que tem um custo muito mais econômico para o município. Caso Divinópolis consiga alcançar a margem de 23% dos postes com lâmpadas de Led, há ainda possibilidade do município se credenciar no Estado junto ao ICMS Verde. Segundo o parlamentar, caso Divinópolis se credencie no ICMS Verde, os empresários do setor de industrialização terão 11% de desconto dentro dos 27% pagos mensalmente pelas indústrias.

 

LÂMPADAS LED

Os benefícios da lâmpada de Led são inúmeros em comparação com a lâmpada de vapor de sódio, a começar pela durabilidade que a Led é capaz de ser utilizada por 14 anos, já a de vapor de sódio tem duração de apenas um ano e meio. Outro quesito é o teor de lumisidade que a de Led tem em conseguir clarear até cinco vezes mais no alcance por metro quadrado do que a lâmpada de sódio. Outro ponto é que a tecnologia Led é ambientalmente correta por ser feita de material frio e também por não emitir gases poluentes na atmosfera. “Foi constatado pelos órgãos do meio ambiente que em Divinópolis, somente no ano passado foram encontrados mais de duas toneladas de CO² na atmosfera, além de 172 quilos do metal pesado de mercúrio. É com base nesses dados que nós defendemos a implantação das lâmpadas de Led que tem o descarte ecologicamente correto, tem mais qualidade no atendimento do serviço de iluminação pública, além de propor mais segurança, mais saúde, menos problemas na manutenção, além da economia de dinheiro público”, finalizou o Vereador.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.