quarta-feira, 8 de Agosto de 2012 16:11h Daniel

Em menos de um ano, Marabá aumenta em 5,5 mil o número de eleitores

Em menos de um ano, o município de Marabá, no Pará, registrou um aumento significativo do eleitorado. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 144.248 pessoas estão aptas a votar em 7 de outubro deste ano, 5.554 pessoas a mais do que o número de eleitores participantes do plebiscito que rejeitou a proposta de divisão do estado do Pará, em dezembro de 2011.

Marabá é o quarto município em números de eleitores do Pará, ficando atrás de Belém, Ananindeua e Santarém. No plebiscito, estavam aptas a votar 138.694 pessoas. Nas eleições de 2010, havia 133.564 eleitores. O acréscimo, de acordo com o TSE, em dois anos chegou a 10.684 eleitores no município.

Ao contrário do que ocorre na maioria dos municípios brasileiros e nas estatísticas referentes aos estados e ao país, as mulheres não representam a maioria do eleitorado de Marabá. De acordo com o TSE, 71.824 dos eleitores são do sexo feminino, o que corresponde a 49,57% do total. Os homens somam pouco mais de 72.947 eleitores, 50,34% do total.

Cinco candidatos estão na disputa pela prefeitura do município: João Salame Neto (PPS), Manoel Rodrigues da Silva (PSOL), Maurino Magalhães de Lima (PR), Paulo Cesar de Carvalho Silva, conhecido como Cesar do Comércio (PRP), e Sebastião Miranda Filho, conhecido como Tião Miranda (PTB). Para a Câmara, 394 candidatos vão disputar as 21 vagas para vereador.

Localizado no sudeste do Pará, o município tem uma população de aproximadamente 234 mil habitantes. É a quarta cidade mais populosa do estado. A cidade ocupa uma área de cerca de 15 mil quilômetros quadrados e tem por referência o ponto de encontro entre dois grandes rios – o Tocantins e o Itacaiunas.

De acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2009, o Produto Interno Bruto do Município somou mais de R$ 3 bilhões, com uma renda per capita de pouco mais de R$ 15 mil.

Nas finanças públicas, em 2009, as receitas orçamentárias realizadas (correntes) somaram pouco mais de R$ 312 milhões. Já as despesas orçamentárias empenhadas ficaram em cerca de R$ 228 milhões. A cidade também recebeu pouco mais de R$ 46 milhões do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) nesse mesmo ano.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.