segunda-feira, 22 de Outubro de 2012 10:36h Gazeta do Oeste

Em Montes Claros, disputa pela prefeitura tem duelo de azarões

A disputa do segundo turno em Montes Claros (sexto maior colégio eleitoral do estado, com 246,7 mil eleitores) está sendo travada por dois candidatos que podem ser considerados os grandes azarões da eleição, já que no início da campanha não figuravam entre os primeiros colocados nas pesquisas. Foram as estratégias eficientes que acabaram levando o deputado estadual Paulo Guedes (PT) e o ex-deputado estadual Ruy Muniz (PRB) ao duelo que será encerrado nas urnas no próximo domingo.

Ruy Muniz vinha em campanha desde que perdeu a eleição para a Câmara dos Deputados, em 2010. Mas enfrentava dificuldades por ser de um partido pequeno. Em junho, o prefeito Luiz Tadeu Leite, com uma série de problemas administrativos, anunciou a desistência de concorrer à reeleição e que deixaria para o seu partido, o PMDB, decidir que rumo tomar na eleição. Outros candidatos, temerosos de ser atingidos pelo desgaste do atual prefeito, nem quiseram conversa. No entanto, de forma surpreendente, Muniz, que até então era oposição ao atual governo municipal, preferiu o entendimento. Ele diz que se aliou aos peemedebistas para ter aquilo que vale ouro numa campanha política: tempo na televisão. Os adversários o acusaram de ser o candidato apoiado por Tadeu Leite, mas ele arrumou um jeitinho para que o atual prefeito não aparecesse em sua propaganda. Também apresentou uma série de promessas para “fazer de Montes Claros uma cidade boa de viver”.

Antes mesmo do início oficial da campanha, o petista Paulo Guedes já mostrava que sua ambição era bem maior que ficar numa posição intermediária na disputa – mesmo sabendo que poucos acreditavam no crescimento do seu eleitorado. Ainda em maio, Guedes buscou e conseguiu o apoio do PT nacional, que, entre outras coisas, assegurou recursos para seus programas de rádio e TV. O petista também passou a usar com intensidade em sua campanha os depoimentos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e imagens da presidente Dilma Rousseff. Com o conhecimento de que Montes Claros tem um grande número (23 mil) de beneficiários do programa Bolsa-Família, ele reforçou sua campanha nos bairros da periferia e nas comunidades rurais. Adotou o discurso da renovação, batendo diretamente nos outros candidatos, que saíram na frente nas pesquisas.

Faltando poucos dias para a eleição de segundo turno, o Estado de Minas entrevistou os dois candidatos à Prefeitura de Montes Claros para saber deles como será esta reta final de campanha e os seus projetos para melhorar a vida da população. Ao final de cada entrevista, cada candidato respondeu à pergunta feita pelo adversário.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.