sexta-feira, 26 de Junho de 2015 09:55h Atualizado em 26 de Junho de 2015 às 10:00h. Jotha Lee

Empresários criam grupo para lançar candidato a prefeito de Divinópolis

Empresários criam grupo para lançar candidato a prefeito de Divinópolis

Empresários, políticos e o cidadão comum já debatem o tema, embora o pleito ainda esteja relativamente distante. Dentro dos partidos políticos, a sucessão na Prefeitura já vem sendo debatida desde o início do ano e, na própria Câmara, os discursos já são de enfrentamento entre legendas que podem se confrontar na disputa pela Prefeitura no ano que vem.
Já há nomes colocados como candidatos à sucessão dentro de várias legendas. No PMDB, o ex-prefeito Galileu Teixeira Machado já está em campanha. Entretanto, ele ainda tenta derrubar decisão do Tribunal de Justiça, que no final do ano passado o enquadrou na Lei de Ficha Limpa, deixando-o inelegível por quatro anos. A prevalecer a decisão judicial, Galileu fica fora da disputa, porém ele aguarda a decisão sobre embargos infringentes, interpostos contra a decisão. Trata-se de ferramenta jurídica, que questiona decisão na qual não houve unanimidade, como foi o caso da punição imposta a Galileu, condenado por improbidade administrativa por deixar de recolher contribuições sociais.
No PT, Demetrius Pereira colocou seu nome à disposição do partido e Beto Cury também já anunciou que quer concorrer pela legenda. Se não houver consenso, os dois poderão disputar a convenção petista. No PSDB, partido atualmente no comando da Prefeitura, ainda não há um nome definido. No entanto, o deputado federal Domingos Sávio diz que os tucanos terão candidatura forte em Divinópolis. “O nome do nosso candidato ainda está em gestação, mas vamos concorrer com um nome forte”, garante.
O ex-prefeito Aristides Salgado, atualmente sem partido e que deve se filiar ao PPS, disse que pleiteia disputar a Prefeitura. Entretanto, o deputado estadual Fabiano Tolentino, já filiado ao partido, admite que pode concorrer. “O partido está me pressionando para ser candidato”, garante Tolentino. Já o deputado federal Jaime Martins (PSB) também vem sendo citado como provável concorrente. Ele não confirma e nem desmente a possibilidade. “No momento estou preocupado em ajudar o Brasil a sair dessa crise”, afirma.
Outros nomes citados como eventuais postulantes a uma candidatura a prefeito em 2016 são o atual vice-prefeito, Rodrigo Resende (PDT), o vereador Rodyson Kristinamurt (PSDB) e o atual secretário de Esportes, Eduardo Print Júnior (SD). O ex-vereador Beto Machado, que após deixar o PSDB continua sem partido, também garante que pretende disputar a Prefeitura no ano que vem. “Já recebi convite de vários partidos, estou estudando o que será melhor”, afirma.

 

EMPRESÁRIOS
Idealizado pelo empresário da construção civil Geraldo Barros, está sendo organizado um grupo que pretende lançar candidato a prefeito no ano que vem. Inicialmente composto por empresários, o grupo já recebeu a adesão de profissionais  liberais,  pessoas comuns ligadas ao setor da construção  civil, comerciantes e vários  outros  segmentos.
Geraldo Barros diz que o grupo está lançando um projeto político. “A intenção  deste grupo é  lançar  um candidato à  sucessão  do chefe do Executivo para as eleições de 2016  em Divinópolis”, garante. Segundo ele, será elaborado um projeto administrativo, visando principalmente  maiores investimentos  na educação,  saúde  e segurança.   “O plano administrativo  também deverá  seguir uma linha mais técnica  do que  política”, assegura. 
O empresário afirma que ainda não há um nome para ser indicado pelo grupo. “Existe a possibilidade  de ser lançado um nome a ser extraído  das bases  do meio empresarial  ou até  mesmo  apoiar um candidato do meio político,  desde que haja consenso”, explica. “Também  é  fundamental  que este candidato forme uma equipe de governo comprometida com  as reivindicações  da população,  principalmente  com os setores da indústria  e comércio”, acrescenta.
De acordo com Geraldo Barros, mais de setenta pessoas  aprovam e participam deste projeto. “Outras duzentas pessoas serão  convidadas, podendo chegar a trezentas. Essa estratégia  visa dar um novo formato à  administração  pública”, afirma.  Segundo o empresário, serviços  públicos só têm qualidade se administrados  como uma  empresa  do setor privado, cuja meta é eliminar as dificuldades e burocracias que  penalizam  a vida das  pessoas.
Na última segunda-feira, o grupo se reuniu para discutir problemas da cidade e na pauta foram debatidas as questões de segurança, qualidade dos serviços públicos e a crise do Hospital São João de Deus. Ainda para esse ano, deve ser organizado um fórum político, para discutir os principais problemas da cidade e os caminhos da sucessão. Para Geraldo Barros, o objetivo é integrar toda a população em um grande projeto para mudar Divinópolis. “É fundamental  o apoio da sociedade.  A política  tem que ser reinventada”, finaliza.

 

Crédito: Divulgação

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.