sexta-feira, 28 de Setembro de 2012 10:34h Gazeta do Oeste

Empresários da área de turismo entregam ao governo sugestões que terão impacto no incremento do setor

No Dia Mundial do Turismo, celebrando hoje (27), representantes do setor se reuniram com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e entregaram um documento pedindo ações do governo para ampliar a concorrência no setor de cartões de crédito.

A expectativa é que, com mais empresas competindo, as taxas de administração dos cartões caiam. A redução na taxa de administração para os estabelecimentos comerciais resultaria também em menor custo para o consumidor.

“As taxas de cartão de crédito no Brasil chegam a 3,5% a 3,7% enquanto no mercado europeu e americano convivemos com taxa em torno de 1%. O governo não regularia taxas, mas criaria um ambiente de maior competitividade”, disse o presidente executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci.

Solmucci explicou que uma medida do governo no sentido de regulamentar que a mesma máquina de cobrança de cartão de crédito seja usada para todas as bandeiras permitiria a entrada de mais empresas na área, aumentando, assim, a competitividade que poderia fazer baixar as taxas de administração. “O mais caro para entrar no mercado é a empresa ter que colocar maquinetas em todo o país. Se houver apenas uma recebendo de todas as bandeiras, aumenta a concorrência”, disse.

O ministro do turismo, Gastão Vieira, que acompanhou os representantes do setor de turismo na reunião, disse ter "a certeza" de que os assuntos discutidos com Gleisi Hoffmann terão uma solução rápida.

Outro assunto levado à ministra da Casa Civil, pelos empresários, foram sugestões para o pacote de concessão de portos e aeroportos a ser anunciado em breve pelo governo. Uma das propostas é que sejam construídas nos portos áreas de desembarque para turistas de cruzeiros. Atualmente, esses passageiros desembarcam em áreas de carga.

Além disso, o setor pede que a definição dos locais para a construção de novos aeroportos em cidades pequenas priorize critérios turísticos. Na área de rodovias, cujo pacote de concessões foi anunciado pelo governo em agosto, a reivindicação é para que sejam instalados centros de atendimento aos turistas nos trechos a serem concedidos à iniciativa privada.

“A ministra Gleisi recebeu muito bem as ideias e as considerou viáveis. Agora, isso tem um mecanismo de estudo”, disse o ministro do Turismo.

O modelo de concessão de portos e aeroportos está em elaboração e a expectativa é de que seja anunciado em outubro. O pacote de concessões de rodovias e ferrovias, lançado no dia 15 de agosto, pretende investir R$ 133 bilhões em 25 anos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.