segunda-feira, 15 de Julho de 2013 06:04h Carla Mariela

Equipe técnica da Câmara se reúne para pontuar novo horário das reuniões

Após acordo realizado entre vereadores e manifestantes de Divinópolis por intermédio de promotores do Ministério Público, para que estudos sobre a mudança no horário das reuniões fossem levantados, os representantes do legislativo e do movimento participa

Após acordo realizado entre vereadores e manifestantes de Divinópolis por intermédio de promotores do Ministério Público, para que estudos sobre a mudança no horário das reuniões fossem levantados, os representantes do legislativo e do movimento participaram de mais dois encontros. Na última reunião ficou decidido que a equipe técnica, repassaria para os vereadores a proposta de ao invés da mudança ser de 14h para 19h como estava solicitado pelo movimento no início, passar de 14h para 17h. Ontem ocorreu o terceiro encontro, no qual os parlamentares assinaram um termo de compromisso para que a reunião se inicie às 16h.

De acordo com a secretária geral, Vanícia Rocha, na segunda-feira terá um novo encontro, para que a equipe possa anunciar de forma oficial este horário. A representante deixou claro que depois de vários debates entre a comissão do movimento e a comissão da Câmara, todos chegaram a um denominador comum que vai atender tanto as reivindicações dos manifestantes, bem como também as necessidades da instituição. Ela ainda explicou que desde o início destes encontros foi mostrado para o movimento sobre o funcionamento do Legislativo e também quais as formas da participação popular, que dentre elas são: a urna da cidadania, a escola do legislativo, o parlamento jovem, comissões que tem as reuniões abertas a qualquer cidadão.
Ainda segundo a secretária, o horário que eles pediram a principio de 19h percebeu-se por parte da Câmara que haveria muita dificuldade, principalmente quanto aos custos que segundo ela seria de aproximadamente 17 mil, devido à hora extra, vale transporte, adicional noturno. Ela frisou que se fosse às 18h, teria um custo um pouco menos que 17 mil, mas ainda teria.
Quanto ao horário que provavelmente é o que vai permanecer (o de 16h), ela afirmou que fica em um patamar bem positivo. “É lógico que teremos que nos adaptar, mas eu acredito que consigamos colocar isso de uma forma positiva. Na segunda-feira vai ter uma apresentação oficial da proposta deste horário das 16h, para os vereadores e para todos os manifestantes porque até então, nós estávamos nos reunindo somente em comissões, entre Câmara e manifestantes, destacou.
O integrante do movimento, Leonardo Santos, afirmou no fim do terceiro encontro que o movimento conseguiu atingir o objetivo, que era possibilitar a participação da população, principalmente na votação dos projetos, que é o primeiro alvo. “Claro que entendemos que os discursos do vereadores são importantes, mas o que mais interessa são as votações dos projetos. Com esse horário a votação dos projetos pela lógica e pela história que vem ocorrendo, deverá iniciar por volta de 18h às 19h, que é de fato o horário que a população pode ir para o plenário para fazer o acompanhamento. A mudança do horário é o primeiro passo que chamamos de reforma do Legislativo, reforma esta para ampliar a participação popular”, finalizou.
A votação em plenário sobre esta mudança de horário ocorrerá na forma ordinária da Câmara, após o recesso parlamentar nas primeiras reuniões de agosto.

Sobre os dois encontros anteriores à reunião

No primeiro encontro foram pontuados os estudos necessários sobre gastos ante a possível mudança passando a reunião de 14h para 19h, a concessão do sinal digital para a transmissão das reuniões, o número e nomes dos integrantes das comissões permanentes, o custeio do material para adaptação da TV digital, dentre outros.
Houve a sugestão do procurador da Câmara, Roberto Franklin de Sousa, para que os cidadãos participassem dos trabalhos que são realizados por meio das comissões permanentes, uma vez que nestes momentos é que se analisam as matérias que entram para votação. A controladora da Câmara, Rosângela Santos, acrescentou que este encontro com as comissões permanentes é o momento crucial para a população ter voz ativa.
Já sobre o segundo encontro, a secretária da Câmara, Vanícia Rocha, disse que foi produtivo pelo fato dos representantes do movimento terem apresentado uma proposta bem amadurecida para que a reunião passasse para às 17h, entendendo as colocações da equipe técnica do Legislativo com relação ao horário das 19h, o qual seria tarde.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.