sexta-feira, 23 de Agosto de 2013 06:24h Carla Mariela

Estatuto da igualdade racial

Coordenadora do SindUTE aguarda chamado de comissões da Câmara para mais atenção ao assunto

A coordenadora do SindUTE, Maria Catarina, utilizou a Tribuna Livre na Câmara para falar sobre a importância do Estatuto Racial. Conforme Catarina, não é a primeira vez que ela usa a Tribuna para falar sobre o assunto. Além de solicitar o apoio dos vereadores, ela já fez várias interferências neste sentido.

 


Ainda segundo Maria Catarina, ela faz a militância pela causa ética racial há mais 10 anos e hoje é integrante do movimento Mundi. A coordenadora esclareceu que o Estatuto da Igualdade Racial é uma lei federal. Para ela, é necessário mais atenção das políticas públicas em relação às desigualdades raciais e sociais no município. “As pessoas insistem em dizer que esse mal não existe, mas existe sim e por isso eu decidi comparecer novamente na casa legislativa, principalmente para interrogar por qual motivo Divinópolis foi um dos municípios entre tantos de Minas Gerais e do país, que não encaminhou a Conferência Municipal da promoção de igualdade racial”, indagou.

 


Durante o seu pronunciamento, Catarina explicou que essa conferência deve ser viabilizada pelo município e infelizmente Divinópolis, um dos principais municípios de Minas Gerais, não a encaminhou. “Estou aqui para exigir, entretanto, políticas públicas para o povo negro na educação e no trabalho, e convocar cada comissão desta câmara municipal para fazer o devido trabalho. Vamos aguardar o chamado principalmente dentro das comissões”, frisou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.