quarta-feira, 30 de Janeiro de 2013 03:52h Carla Mariela

Evento promovido pelo Governo Federal reúne prefeitos de todo o país em Brasília

O encontro que teve início na última segunda-feira e se encerra hoje, apresentou inúmeros programas às prefeituras

O Encontro Nacional de Prefeitos e Prefeitas de todo o Brasil é organizado pelo Governo Federal em conjunto com todos os Ministérios, sob a coordenação da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República. O evento que se iniciou na segunda-feira em Brasília no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, termina hoje. No primeiro dia do encontro, a presidente Dilma Rousseff, fez um anúncio de convênios no valor de R$66,8 bilhões em recursos federais. A maior parte dos recursos anunciados por ela irão para o setor de infraestrutura, obras de saneamento, pavimentos e mobilidade urbana.
Durante o encontro, a presidente também fez um longo balanço das ações de seu governo que, segundo ela tirou 19 milhões de pessoas da linha da pobreza e que até em 2014 poderá superar a pobreza extrema.
Na ocasião, Dilma Rousseff, ressaltou que já fez a entrega de 1 milhão de chaves do Programa Minha Casa Minha Vida e fez a promessa de que até 2014 serão 1,3 milhão. A presidente orientou os gestores sobre a responsabilidade de selecionar as famílias a terem esse benefício.
Para o presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), Ângelo Roncalli, o encontro teve uma presença maciça em torno de 700 prefeitos de Minas eleitos e reeleitos, esse número de gestores, conforme Roncalli é bom porque  prefeito que comparece em eventos como esse, começa a ser questionado pela população “O que nós avaliamos foi que a presidente Dilma anunciou o investimento de R$66,8 bilhões para habitação, saneamento e para uma série de projetos que se tem repetido ano após ano. O que estamos preocupados é que de que maneira esses recursos irão chegar. Nós sentimos que os prefeitos querem cumprir com as expectativas, mas é necessário saber como vamos receber esses recursos”, disse.
Apesar das boas notícias, o presidente da AMM, abordou que faltou a presidente Dilma Rousseff, explicar como será o encontro de contas com a União. “Queremos que todas as dívidas dos Municípios tenham correção pela Selic, que é menor do que é feito hoje, e que essa renegociação sirva para amortizar a dívida das prefeituras. Se um prefeito deve R$2,5 milhões e tem R$ 1 milhão a receber, que se reduza a dívida de imediato a R$1,5 milhão porque, obviamente, os juros ficarão menores sobre o valor restante”, declarou.
Ainda de acordo com Roncalli, foi anunciada também pela presidente, uma colaboração para a manutenção de creches, porém somente após saber o número de alunos, é que os municípios começarão a receber recursos do Fundo de Educação Básica. “São muitas possibilidades de construir unidades de saúde, creches, quadras, mas a dificuldade maior é de arcar com os serviços”, afirmou o presidente da AMM.
Sobre as construções de moradias, Roncalli, relatou que essa é outra dificuldade, pois o município vai receber moradias, mas em contrapartida terá que entrar com terreno e infraestrutura e alguns deles não têm condições. Vai depender muito da situação de cada cidade. Mas segundo Roncalli, de um modo geral fica claro que as políticas públicas só andam se de fato forem executadas pelos municípios.
O presidente da AMM finalizou dizendo que os projetos e programas são importantes, mas tem que haver equilíbrio federativo, treinamento para os servidores municipais e que todos os gestores possam ser mais transparentes nas suas ações políticas.
O evento teve como tema “Municípios Fortes, Brasil Sustentável”. Os prefeitos mineiros presentes no evento tiveram o auxílio da equipe da AMM que orientaram os gestores.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.