sexta-feira, 24 de Outubro de 2014 06:15h Atualizado em 24 de Outubro de 2014 às 06:19h. Jotha Lee

Ex-prefeito usa rede social e pede votos para Dilma

Demetrius Pereira sinaliza provável candidatura em 2016

O ex-prefeito Demetrius Pereira (PT), praticamente afastado do cenário político de Divinópolis desde que deixou a administração em 2008, está retornando às atividades públicas, embalado pela vitória de Fernando Pimentel ao governo de Minas. Embora tenha feito uma administração considerada exemplar, o ex-prefeito, na ocasião filiado ao PSC, desistiu da reeleição, em razão do seu tumultuado último ano de governo. No dia 9 de abril de 2008 Demetrius Pereira foi preso em casa pela Polícia Federal, na chamada Operação Paságarda, que investigou fraudes em recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).
A operação prendeu 50 pessoas, entre elas 17 prefeitos de Minas Gerais. Demetrius foi preso em casa, quando tomava café da manhã com a família e levado para a penitenciária Nelson Hungria. Depois de ficar preso por uma semana ele foi liberado e nada se provou contra ele.
Entretanto, o estardalhaço da ação da Polícia Federal e a prisão deixaram marcas na vida pessoal do ex-prefeito e influenciaram em suas futuras decisões políticas. Por ter realizado uma administração muito bem avaliada, sendo responsável por conquistas como a Universidade Federal, o Restaurante Popular e asfaltamento da maior malha urbana do transporte coletivo, Demetrius sempre foi apontado como candidato favorito ao Executivo Municipal.
Em 2010, ele sinalizou que voltaria à vida pública, entretanto mudou de ideia no andamento do processo eleitoral. Sua candidatura era vista como a mais viável para vencer o candidato do PSDB, Vladimir Azevedo, que buscava a reeleição. Entretanto, Demetrius manteve uma longa indecisão e na última hora desistiu de concorrer. Amigos próximos revelaram que ele continuava abalado com os eventos de 2008 e sua candidatura tinha resistência até da própria família.

 

 

 

A VOLTA
Agora, no embalo do bom desempenho do PT em Minas, especialmente em Divinópolis, o ex-prefeito reaparece e pode concorrer à sucessão municipal em 2016. Ele já declarou que pode disputar a sucessão de Vladimir, mas condicionou sua candidatura a uma vitória de Dilma Rousseff.  Totalmente afastado de qualquer publicidade nos últimos dois anos, Demetrius reapareceu às vésperas do primeiro turno das eleições, surgindo em publicidades nos jornais impressos da cidade, pedindo votos para Fernando Pimentel e Dilma Rousseff.
No dia 5 de outubro, após oficialização da vitória de Pimentel em Minas, Demetrius reapareceu publicamente pela TV Candidés que, em parceria com a Gazeta do Oeste, realizou ampla cobertura das eleições. Na TV, o ex-prefeito participou de debate sobre o resultado do pleito e mostrou-se muito bem disposto e recuperado emocionalmente dos problemas que enfrentou a partir da prisão em 2008.
Visto até hoje como favorito em uma eleição municipal, Demetrius apareceu ontem em uma rede social pedindo votos para Dilma Rousseff. Num vídeo de 29 segundos, postado no perfil de Humberto Pozzollini, secretário de Meio Ambiente no seu governo, Demetrius agradeceu e pediu votos para a petista. “Devido à receptividade que tivemos, seja na sua rede social ou no seu celular, estamos de volta. Agora para agradecer a tantas mensagens de carinho recebidas e reforçar nosso pedido para a presidenta Dilma no dia 26 de outubro”, diz ele no vídeo.
A provável candidatura de Demetrius à sucessão municipal já coloca dois concorrentes em campanha para 2016. O outro candidato é o ex-prefeito Galileu Machado (PMN), que já está pedindo votos. O empresário Fausto Barros, principal articulador político de Galileu, confirmou à Gazeta do Oeste que o ex-prefeito está pronto para mais uma disputa eleitoral.

 

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.