quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2014 05:24h Atualizado em 19 de Fevereiro de 2014 às 05:30h. Mariana Gonçalves

Ex-secretário de Meio Ambiente fala sobre polêmica do aterro controlado de Cajuru

Na edição de n° 2262 da Gazeta, a matéria intitulada “Situação do aterro controlado incomoda população de Cajuru” mostrou a insatisfação dos moradores de Carmo do Cajuru em relação ao tratamento dos resíduos sólidos no município.

Por lei federal, nenhuma cidade pode mais fazer o descarte de lixo deixando o resíduo a céu aberto.
Em contato com a assessória de comunicação da prefeitura, a equipe de reportagem foi informada que o secretário de Meio Ambiente havia sido exonerado há poucos dias, porém deixou um relatório informando a situação do local. No relatório datado praticamente nos dias em que deixou o cargo, o ex-secretário Clovis José Rabelo Carvalho afirmava que a situação do aterro estava razoável.
Essa semana Carvalho procurou a equipe de reportagem para explicar melhor os fatos. Conforme diz, o documento feito por ele se referia a situação do aterro controlado no período em que atuou como seu gestor. “Assumi o aterro em março de 2013 e na ocasião a situação era crítica, devido a um trator que apresentou problemas mecânicos e interferiu no trabalho de aterrar os resíduos. Mas, dias depois conseguimos concertar e resolvemos o problema. Continuamos com as atividades e sempre fazíamos o cobrimento dos resíduos 3 vezes por semana. Daí tivemos novamente um problema com o nosso trator e íamos precisar de um outro, então resolvi terceirizar essa locação. Porém tive bastante dificuldade por parte da prefeitura  em ajudar, mandei vários ofícios solicitando terra e equipamentos para cobrir o lixo porque conforme a lei somos obrigamos a fazer a cobertura dos resíduos três vezes por semana e isso não estava sendo feito. A situação voltou a ficar crítica no final do ano pois ficamos vários dias sem cobrir o lixo. Tornei a encaminhar um oficio para a prefeitura solicitando a contratação de um trator de esteira, mas não tive sucesso. Com isso eu sabia que a responsabilidade do serviço não estar sendo feito poderia cair sobre mim, então pedi um trator emprestado e me cederam o equipamento até com o funcionário e isso praticamente a custo zero. Daí tive outra dificuldade com a prefeitura que foi com o transporte desse trator ate o aterro, também tive que conseguir um caminhão emprestado para fazer essa locomoção porque a prefeitura não deu apoio. Quando o trator encerrou as atividades no dia 05 de fevereiro desse ano,  registramos a situação com foto para comprovar que a mesma era regular no local. A partir dessa data eu não acompanhei porque não era mais de minha responsabilidade. Tenho um relatório encaminhado a prefeitura que diz que a situação era regular, de fato era até o dia em que ele foi feito” afirma.
Por dia são depositados no aterro cerca de 12 toneladas. A reportagem esteve no endereço onde o aterro esta localizado na manhã de ontem, conforme nossos registros fotográficos é possível ver os resíduos a céu aberto, o cenário está como os dos antigos “lixões”.

Prefeitura
Em nota, a prefeitura esclarece que: “o Secretário de Obras, Domingos Mesquita Tirone, assume temporariamente a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico. Após a exoneração, no início do mês de Fevereiro, o Engenheiro Clovis José Rabelo de Carvalho não responde mais pelo cargo. A portaria do novo Secretário interino de Meio Ambiente, Domingos Mesquita, foi publicada no dia 07 de fevereiro. No entanto, Domingos assumiu efetivamente a Secretaria no dia 13/02. Ao assumir o cargo, o Secretário encontrou um dos principais equipamentos de trabalho danificado ‘O trator de esteira é essencial para o andamento dos serviços da Secretaria, no entanto, o mesmo está com o motor fundido. Ao tomar conhecimento da situação, foi realizado um pedido para contratação de um novo trator. A licitação acontecerá dia 06/03/14. Neste intervalo, estamos realizando ações paliativas para que os trabalhos da Secretaria não sejam prejudicados. Nossa maior preocupação é com o tratamento do aterro controlado’, afirmou Domingos. As denúncias e informações sobre a Secretaria podem ser obtidas pelo telefone (37) 3244-1400”.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.