Fabiano Tolentino participa da Semana Internacional do Café

O presidente da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Fabiano Tolentino (PPS), participou, nesta quinta-feira (24/9/15)

O presidente da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Fabiano Tolentino (PPS), participou, nesta quinta-feira (24/9/15), do lançamento do Consórcio Público para o Desenvolvimento do Café no Sul e Sudoeste de Minas (Concafé), realizado no Expominas, em Belo Horizonte.

Durante o lançamento da Concafé, foi aberta a 3ª Semana Internacional do Café que reúne 67 prefeituras de municípios produtores de café do Sul e Sudoeste, com o objetivo de promover o marketing do produto, a difusão de informações para os produtores sobre o mercado nacional e internacional e estimular a interlocução setorial para consolidar o desenvolvimento da região.

Segundo o presidente da Comissão de Política Agropecuária, deputado Fabiano Tolentino, a subida do dólar favorece a exportação do café, mas também preocupa o produtor em função do elevado aumento de preço dos insumos agrícolas. “Precisamos de políticas públicas de seguro de safra e preço mínimo para o café. O cafeicultor não aguenta mais produzir sem saber o preço que irá vender no ano que vem”, disse.

Em seu discurso, o vice-governador Antônio Andrade (PMDB), afirmou que Minas Gerais deverá produzir 44 milhões de sacas de café neste ano, apesar de ter capacidade para produzir mais de 50 milhões. “A safra foi afetada pela seca”, lamentou. Apesar disso, ele acredita que o momento é bom para o setor, em função da subida do dólar.

O secretário de Agricultura, João Cruz, disse que o Estado está investindo, entre outros projetos, no georreferenciamento do parque cafeeiro, de forma a saber, com precisão, o número de produtores de café em Minas, o tamanho das propriedades e as variedades plantadas, dados que hoje não são confiáveis.

A importância de um órgão que realize esse trabalho é demonstrada pela comparação entre o Sul de Minas e a Colômbia, que produzem a cada safra uma quantidade semelhante de café - cerca de 13 milhões de sacas. No entanto, a Colômbia investe muito mais em marketing, abocanhando parcelas valiosas do mercado internacional. Minas Gerais é responsável por cerca de 52% da produção de café do Brasil, que é o maior produtor mundial.


Créditos: Guilherme Dardanhan/ALMG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.