sexta-feira, 27 de Janeiro de 2012 18:27h Atualizado em 30 de Janeiro de 2012 às 09:13h. Flávia Brandão

Faraco admite dificuldades sobre instalação indústrias

Grandes indústrias e empreendimentos já foram anunciados para Divinópolis inclusive com protocolos assinados junto ao Governo de Minas, mas que não se concretizaram

Grandes indústrias e empreendimentos já foram anunciados para Divinópolis inclusive com protocolos assinados junto ao Governo de Minas, mas que não se concretizaram. A exemplo, as empresas Atomic e a Quad Core (Tecnologia da Informação) que assinaram protocolo em 2009 o acordo foi desfeito. Atualmente, a Proema (Autopeças) também vive situação onde não se diz se ela irá ou não se instalar de fato na cidade. Divinópolis convive com as indefinições, enquanto o Governo de Minas, com assistência do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI), assinou 160 protolocolos de intenções, em 2011, com geração de 43,9 mil empregos diretos e 91.5 mil indiretos em todas as regiões do Estado de Minas Gerais.
A respeito da articulação política do município com o governo tucano para atração de grandes indústrias, o secretário Antonio Faraco argumentou que conhece o professor Anastasia e o senador Aécio Neves que são políticos republicanos, ou seja, que não beneficiam apenas cidades governadas por membros de seus partidos. Nesse olhar republicano, o secretário afirma que na distribuição de recursos o Governo dos tucanos leva em consideração a grande diferença entre as regiões do estado, a serem trabalhadas, a exemplo do Vale do Mucuri e Jequitinhonha.
O secretário defendeu que o Governo de Minas faz sim investimentos vultosos na cidade a exemplo do Hospital Público de R$ 50 milhões e nas UPAS e dizer que Divinópolis não está sendo contemplada seria uma “visão distorcida”. Além disso, citou os investimentos no aeroporto regional, que colocou a cidade “em outro patamar”.
Colar de cidades
Apesar de dizer que o governo tucano volta sua atenção para Divinópolis, ao que parece na área de atração de indústrias para a cidade não acontece à mesma atenção. Isso porque o próprio secretário tucano alega que o governo considera ainda “o colar de cidades da região metropolitana”, em condição privilegiada. O trabalho da gestão Vladimir é inserir Divinópolis nesse colar, mas o que não é um trabalho fácil. “Esse é um trabalho, que não conseguimos da noite para o dia, pois passa por discussões técnicas de melhorias de infraestrutura e de indicadores da cidade. Ou seja, não é uma discussão meramente política porque sabemos que o governo Anastasia e Aécio preza o aspecto técnico das questões”, ressaltou.
Expectativas
Sobre o anúncio de grandes empresas, que não foram efetivadas, a reportagem questionou o que o governo Vladimir teria para estancar essa expectativa criada na população. Em resposta, o secretário justificou que não foi o prefeito Vladimir, que anunciou essas empresas, mas sim que tomou algumas providências para atração de grandes indústrias. Nesse contexto, o governo fez todas as interfaces necessárias para criar um ambiente favorável para instalação, mas é preciso considerar a existência de uma concorrência mundial, onde várias cidades disputam a atração de indústrias, geração de empregos e investimentos.
Faraco disse que Divinópolis está inserida nesse cenário de disputas e nesse sentido é preciso fazer muito ainda em termos de infraestrutura, qualidade de vida com o tratamento de resíduos, preparando a cidade para que possa ser “melhor percebida e vista por grandes indústrias”. Além disso, ele cita que às vezes o cidadão comum tem a leitura que o prefeito, por si só irá atrair novas indústrias, no entanto isso deve ser colocado nesse cenário global de de disputas. O secretário diz que não é um trabalho simples a captação de empresas, e as decisões são muito demoradas com visitas, assinatura de protolocolos de intenção, a solicitação por partes das empresas de indicadores para conhecerem pontualmente o que o município oferece termos de infraestrutura e logística.
Trabalho político
O secretário justificou ainda que Divinópolis por muito tempo deixou de fazer um “trabalho político importante dentro das estruturas de tomada de decisão” sobre investimento nas áreas de desenvolvimento econômico no Governo do Estado e Governo Federal. “É um trabalho, que foi retomado, que você tem que plantar e regar a semente para que ela possa render uma árvore frondosa com bons frutos para a cidade”, declarou.
Avanços e Visibilidade
O secretário ressaltou que a gestão Vladimir vem trabalhando nesse sentido de um novo ambiente de negócios na cidade, a exemplo de ações como: o incentivo a Lei do Empreendedor Individual, a atração de concessionárias de veículos, a organização de setores produtivos, investimentos no aeroporto e o foco de complementar à prestação de serviços com o novo complexo da área saúde (HP e UPAS). Faraco ressaltou ainda que o município teve avanços melhorando suas condições de infraestrutura, a visibilidade com trabalho de diplomacia municipal com no governo do Estado e Governo Federal. “Esperando que boas novidades ainda surjam nesse ano para essa área”, finalizou o secretário.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.