quinta-feira, 12 de Maio de 2011 12:14h Flávia Brand?o

Francisco Gonçalves irá se desfiliar do PDT

Saída do vereador Edson Sousa do partido foi um dos motivos que levou à decisão

Na próxima semana, o médico Francisco Gonçalves, que ocupou o cargo de ex-vice-prefeito de Divinópolis e deputado estadual, irá comunicar a sua desfiliação do Partido Democrático Trabalhista (PDT) para ingresso no Partido Socialista Brasileiro (PSB). De acordo com Gonçalves, a decisão foi tomada porque em nenhum momento o atual diretório do PDT, que é presidido pelo vice-prefeito, Francisco Martins, demonstrou satisfação pela sua presença no partido. Além disso, a atual saída do vereador Edson Sousa do PDT, agendada para o próximo dia 13, foi outro incentivo para a mudança de partido.


Segundo Francisco Gonçalves seu ingresso ao PDT foi motivado pelo convite do Ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi. “Foi uma honra receber o convite. Entre as autoridades maiores do PDT estava o Ademir Camilo e Mário Heringer. Então eu entrei no PDT acompanhado de grandes companheiros, entre eles o Edson Sousa, mas não me senti a vontade dentro do partido, mesmo pelo atual diretório. Não houve por parte do diretório boas-vindas, pelo contrário sempre falando em retaliações, sempre mostrando que eu não era um político desejado dentro do PDT de Divinópolis.”, afirmou.


Gonçalves afirma também que a saída do vereador Edson Sousa do PDT foi também um dos motivos, que incentivaram a sua decisão. “O vereador Edson Sousa é o vereador mais combatido dentro da Câmara Municipal de Divinópolis e a conduta dele traz sempre um transtorno muito grande para o prefeito e vice-prefeito porque o Edson é verdadeiro, ele sempre fala a verdade e ninguém prova o contrário. E eu dentro de um partido, a sigla em Divinópolis, eu prefiro acompanhar o Edson Sousa e sair”, declarou.

 

PSB

 

A escolha pela PSB é justificada por Francisco Gonçalves pela presença de nomes, pelos quais tem simpatia como o prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda, o ex-ministro, Walfrido dos Mares Guias, o ex-deputado Mário Assad, e governador de Pernambuco Eduardo Campos. Na próxima semana, o político afirma que irá encaminhar documentos solicitando a sua desfiliação, mas pretende comunicar primeiramente sua saída, ao presidente do PDT em Minas Gerais, Mário Heringer.


A respeito de acompanhar a saída do vereador Edson Sousa, Gonçalves afirma que os dois estão juntos e que assim que assumir o diretório do PSB em Divinópolis irá fazer o convite ao vereador para se filiar ao partido. “Nós faremos a ele esse convite, oficialmente, tão logo nós assumirmos o diretório do PSB em Divinópolis. Além do mais, tem vários partidos nos convidando. Quando fazem o convite ao Edson, me procuram também para que a gente possa estar juntos no mesmo partido”, afirmou.


O ex-vice-prefeito ressaltou ainda que vários lideres políticos já o procuraram para reativar o PSB. “Nós temos o PSB aqui em Divinópolis, mas ele está no ostracismo, temos que levantar atualmente o PSB”, declarou.

 

Pré-candidato

 

Questionado se iria concorrer ao próximo pleito eleitoral para o cargo de prefeito, Francisco Gonçalves afirma que está conversando com sua família a respeito, mas nenhuma decisão ainda foi acertada. “Estou aguardando uma decisão de família. Tenho procurado conversar muito com meus filhos a respeito dessa candidatura para as próximas eleições, mas até hoje não tomei nenhuma decisão. Apesar de que quando eu caminho pelas ruas de Divinópolis, grande parte da população quer me ver novamente na política”, ressaltou.


Segundo Gonçalves uma grande frente de lideres políticos já está se articulando e em momento oportuno irá ser apresentado o candidato a prefeito, que contemple todas as facções que compõem a chapa de oposição a atual administração. “Queremos mudança nessa prefeitura, as coisas não podem continuar como estamos assistindo. Esse grupo vai tentar de todas as maneiras possíveis para que Divinópolis ache seu caminho de liderança, progresso na região Centro Oeste”, enfatizou.  Ele afirmou também que vários partidos como o PR, PT, PMBD estão se reunindo frequentemente para discutir o próximo pleito eleitoral e possíveis coligações.


Gonçalves aponta como alguns dos pontos negativos da atual administração o aumento da mortalidade no Pronto Socorro Municipal, a ação fiscalizadora da Secretaria Municipal de Trânsito, que “criou uma Indústria da Multa na cidade” e a postura do prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) em relação ao tratamento do esgoto em Divinópolis. “Agora nós estamos assistindo dizer em Divinópolis que o prefeito que era eminentemente contra a Copasa, vai entregar a rede de esgoto para a empresa. Então essas incoerências, essas atitudes que chamam a atenção da nossa gente”, finalizou.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.