sexta-feira, 16 de Agosto de 2013 09:23h Atualizado em 16 de Agosto de 2013 às 09:42h. Carla Mariela

Funcionários do HSJD comparecem a Câmara municipal

A reunião da Câmara municipal, ontem, contou com a presença de funcionários do Hospital São João de Deus (HSJD). Conforme o biomédico, Dr. Wander Ribeiro, o objetivo de comparecer na casa legislativa é sensibilizar os vereadores para a causa do hospital.

A reunião da Câmara municipal, ontem, contou com a presença de funcionários do Hospital São João de Deus (HSJD).  Conforme o biomédico, Dr. Wander Ribeiro, o objetivo de comparecer na casa legislativa é sensibilizar os vereadores para a causa do hospital.
De acordo com Dr. Wander Ribeiro, a manifestação foi feita com a intenção de chamar a população para a situação que o hospital está vivendo e juntamente com a população solicitar um manifesto maior para mover os órgãos competentes a dar uma atenção mais específica para ajudar a instituição no momento de caos que ela está passando.


Segundo o biomédico, os funcionários não querem tumultuar os trabalhos dos vereadores, só querem que os parlamentares os enxerguem. “A presença do grupo no plenário é chamar a atenção dos vereadores para que eles vejam a nossa causa e saibam que o ano que vem nós continuaremos precisando deles e eles precisando de nós, porque aqueles políticos que lembrarem de nós nesse momento negro que o hospital está passando, nós lembraremos deles nas próximas eleições”, afirmou.


O vereador Rodrigo Kaboja (PSL) durante seu pronunciamento relatou que o HSJD é o maior no campo assistencial da saúde e que Geraldo Corrêa poderia ter levado esta instituição para qualquer outra cidade, mas não, ele preferiu reconhecer a hospitalidade de Divinópolis e trazer o hospital para o município. “O hospital foi obrigado a sofrer para ao mesmo tempo crescer. O novo administrador chegou com a mesma tarefa de empregar novas engenharias econômicas e tem feito o possível para enxugar a máquina do hospital”, enfatizou.


Marcos Vinícius (PSC) abordou que o hospital está vivendo hoje uma luta de mais de 20 anos. Para ele, são pessoas que tem honra, história e família. “O que se discute aqui é de interesse dos médicos que não estão aqui presentes. Nós estamos falando de pessoas que não tem como recorrer aos planos de saúde por falta de recursos e condições financeiras. Se houve erro, improbidade, roubo, os responsáveis devem ser punidos, mas não se podem responsabilizar os trabalhadores que não participaram destas falcatruas”, frisou.


O presidente, Rodyson Kristnamurti (PSDB) solicitou que a comissão de saúde faça o relatório de salários. Para ele, um choque de gestão deve ser realizado.
A supervisora administrativa da unidade de nefrologia, Blenda Pâmela Menezes, que estava no plenário tranquilizou os pacientes da nefrologia. “Eu gostaria de tranquilizar os familiares, os pacientes, que a nefrologia não vai fechar. A nefrologia, mesmo com estes problemas que o hospital está passando, está continuando com os serviços, com atendimentos ambulatoriais, podem ficar despreocupados que este setor vai está funcionando normalmente”, destacou.
Os demais parlamentares que também se encontravam na reunião ordinária também se pronunciaram sobre o HSJD.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.