segunda-feira, 21 de Dezembro de 2015 11:09h

Governador Fernando Pimentel e ministro George Hilton abrem trabalhos para passagem da Tocha Olímpica em Minas Gerais

Representantes dos governos federal e estadual destacaram capacidade de organização do Estado para realização do evento; 35 cidades mineiras participarão do revezamento

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, participou nesta sexta-feira (19/12) no Palácio Tiradentes, em Belo Horizonte, ao lado do ministro do Esporte, George Hilton, da abertura da reunião de trabalho sobre o Revezamento da Tocha Olímpica no Estado. Minas Gerais será o Estado por onde a tocha, símbolo dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, passará por mais cidades no Brasil, a partir de maio do ano que vem.
“Nós temos o que mostrar no campo esportivo, no campo turístico e cultural. Para Minas Gerais é uma oportunidade única. Só Minas Gerais vai ter mais municípios recebendo a tocha do que todo o Reino Unido durante as Olimpíadas naquele país. Não vai faltar apoio do governo do Estado para essa iniciativa. Vamos estar inteiramente à disposição dos prefeitos e das prefeitas para fazer a melhor festa, a melhor passagem da tocha em cada cidade”, afirmou o governador.
Nesta sexta-feira, equipes interministeriais do governo federal estiveram na capital mineira para discutir a mobilização e logística do evento com as lideranças políticas do Estado. Entre os dias 3 de maio e 5 de agosto de 2016, a tocha irá percorrer 300 cidades de todos os estados brasileiros. Será carregada por cerca de 12 mil condutores até a pira Olímpica a ser acesa na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos no Maracanã.
Durante a abertura da reunião, foi assinado um termo de cooperação técnica entre o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e o Estado de Minas Gerais para garantir a estruturação da realização de jogos dos torneios olímpicos de futebol feminino e masculino.
Minas Gerais foi o primeiro Estado brasileiro a criar um programa – o Minas 2016 – para atendimento e captação de delegações estrangeiras para aqui realizarem a fase final de preparação para as competições. “São seis delegações já definidas e algumas que estão definindo ainda. Estão escolhendo nos 25 centros de treinamento olímpicos em Minas, dos quais 16 já foram visitados inclusive pelo Comitê Organizador Rio 2016. Minas tem o que mostrar”, afirmou o governador.
A equipe do Reino Unido vai se preparar em Belo Horizonte. Uberlândia receberá equipes da Irlanda, Sérvia e Bélgica. Juiz de Fora receberá China e Canadá. O Estado sedia os treinamentos da equipe brasileira de canoagem em Lagoa Santa, no Território Metropolitano.
Segundo o ministro George Hilton, Minas Gerais fará uma festa inesquecível durante a passagem da tocha. “Nunca se investiu tanto no esporte no Brasil. O esporte é mais do que uma ferramenta para revelar atletas. É política de prevenção e inclusão social. Não faltam recursos para amparar os atletas. Nossa meta é chegar entre os 10 primeiros países na Olímpiada e entre os cinco na Paralimpíada”, ressaltou.
Na solenidade, três certificados foram entregues a atletas com 10 anos ininterruptos de Bolsa Atleta, programa de financiamento esportivo do governo federal. Em nome dos atletas presentes, Daniel Alves Rodrigues, atleta paraolímpico de tênis, disse que ter um projeto faz “o atleta ir mais longe”. “É o diferencial que faz os atletas ganharem medalhas. Eu era visto como uma pessoa com deficiência. Depois que entrei para o esporte, sou visto como um atleta de alto rendimento. A emoção é grande de estar representando o Brasil”.
 

Organização

O secretário de Assuntos Federativos da Presidência da República, Olavo Noleto, classificou como uma “oportunidade única” a passagem da tocha pelos Estados. Minas Gerais será o 16º Estado entre os 26 a receber a tocha. Ao todo, 330 cidades brasileiras participarão do evento, sendo 35 delas em Minas. A primeira cidade mineira a receber o fogo simbólico será Araguari.
O diretor executivo do Comitê Organizador do Rio 2016, general Marco Aurélio Costa Vieira, justificou a escolha das cidades, feita com base nas riquezas cultural, turística e histórica de cada uma e sua localização geográfica. “O objetivo desse percurso é mostrar aquilo que é mais rico. Estamos envolvendo o país inteiro. São 20 mil quilômetros por terra e 12 mil milhas aéreas. Se a Olimpíada veio para o Brasil, é porque temos condições de fazer”, completou.
Em Minas Gerais, as cidades escolhidas são: Araguari, Uberlândia, Uberaba, Araxá, Serra do Salitre, Patrocínio, Patos de Minas, Varjão de Minas, Pirapora, Montes Claros, Bocaiúva, Couto de Magalhães de Minas, Diamantina, Curvelo, Gouveia, Datas, Serro, Guanhães, Governador Valadares, Naque, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Itabira, Ouro Preto, Itabirito, Betim, Contagem, Belo Horizonte, São João del Rei, Tiradentes, Barbacena, Juiz de Fora, Bicas, Leopoldina e Muriaé.
Também participaram do evento secretários de Estado, prefeitos, vereadores, representantes do governo federal e atletas.

 

 

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.