quinta-feira, 18 de Junho de 2015 13:30h

Governador instala Fórum Regional em Araçuaí e reforça importância da participação popular

Evento para criação do grupo de trabalho do Território Médio e Baixo Jequitinhonha contou com a participação mais de mil pessoas

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, afirmou nesta quinta-feira (18/6) durante a abertura do Fórum Regional de Governo no Território Médio e Baixo Jequitinhonha, em Araçuaí, ser agora a vez de um novo modelo de gestão no Estado, ouvindo e dialogando com a sociedade para buscar as melhores soluções para a população.
“Isso não é perda de tempo, não é ineficiente. É nosso jeito de governar Minas Gerais. É isso que provoca indignação, revolta e críticas do lado deles. Eles ficaram 12 anos no governo e nós sabemos o resultado. Agora, deem licença. É nossa vez de governar”, declarou, para uma plateia com mais de mil pessoas, entre representantes de movimentos sociais, lideranças políticas e secretários de Estado.
O Território de Desenvolvimento do Médio e Baixo Jequitinhonha é integrado por 31 municípios, distribuídos por cinco microterritórios: Almenara, Araçuaí, Itaobim, Padre Paraíso e Pedra Azul. O objetivo, como destacou o governador, é oficializar a participação popular na elaboração, execução e avaliação de políticas públicas regionalizadas. A população de cada território será convidada periodicamente a participar de reuniões para elencar problemas – que, por sua vez, serão incluídos no Plano Plurianual de Ações Governamentais (PPAG) e no Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI).
Fernando Pimentel ressaltou que, sem ouvir a vontade da população, “não é possível governar bem”. “Levamos cinco meses tentando arrumar a casa, mas nós começamos. O carro começou a andar. Às vezes engasga, mas está andando. O Estado está numa situação muito difícil do ponto de vista financeiro. Temos de ter a humildade de chegar para as pessoas, discutir com elas e definir as prioridades. Não tem dinheiro para fazer tudo”, disse o governador.
Após ouvir relatos de problemas relacionados à crise hídrica, obras e segurança pública em Araçuaí e região, o governador disse que algumas queixas já estão claras e deverão ser solucionadas. “Primeiro, o problema de Medina. Não pode faltar água em Medina. A segurança também é um absurdo na região. Tem de ter delegado em Araçuaí. Vamos designar um. É difícil resolver tudo de uma vez só. O importante é termos o entendimento de chegar perto, de ter humildade de escutar as pessoas”, completou Pimentel, que também agradeceu a presença de um público expressivo durante o evento.  “Nunca antes na história Araçuaí teve tantas autoridades juntas”, brincou.
O governador também fez questão de citar algumas das últimas providências tomadas pelo governo para melhorar a situação do Estado neste primeiro semestre de administração. Entre outras, Pimentel destacou o pagamento de quase toda a dívida em obras deixadas pela gestão passada. “São cerca de R$ 500 milhões e 90% estão pagos. Agora vamos começar a dar ordens de serviço para retomar obras que estão paradas. Vamos priorizar as que são mais importantes em cada região. Vamos discutir com vocês”, salientou.
Durante a sua fala, o secretário de Estado de Governo, Odair Cunha, destacou que a participação popular será uma política pública durante a gestão de Pimentel. “Vamos fazer com que as decisões políticas não sejam tomadas pura e simplesmente com números e estatísticas na Cidade Administrativa”, afirmou.

Apoios
O prefeito de Araçuaí, Armando Paixão, agradeceu a presença do governador e destacou que a instalação do fórum representa a possibilidade do Vale do Jequitinhonha ser ouvido. “Vamos nos reunir e definir nossas prioridades. Mas a água é a questão principal. Se tivermos água, teremos oportunidades, traremos emprego e renda para cá”, disse.          
Coordenadora Regional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Aline Aparecida Gomes acredita que a instalação dos Fóruns aponta para uma nova postura do Governo de Minas Gerais, num momento em que os mineiros e as mineiras “estão esperançosos pela participação e instalação de verdade da democracia”.
“É bom saber que o Vale vai poder apresentar, além das demandas, as nossas riquezas culturais. Nós, do Vale do Jequitinhonha, viemos num processo histórico de organização popular. É de fundamental importância a participação dos mineiros no processo de construção política no Estado, por este sempre ter negado o direito à participação popular”, ressaltou.
Representando a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado estadual Jean Freire, que é da região, fez questão de destacar que o Vale do Jequitinhonha “não é a região da miséria e, sim, a região da falta de oportunidades”. “Acredito que para um governo dar certo é preciso um tripé, formado por um Poder Executivo que ouve as pessoas - e que agora nós temos -, representação no Legislativo e, por fim, o povo, os movimentos sociais, o que teremos nesses Fóruns”, finalizou.
Também participaram da solenidade de instalação do Fórum Regional de Governo – Território Médio e Baixo Jequitinhonha o vice-governador Antônio Andrade, 10 secretários de Estado, deputados, prefeitos e líderes de diferentes movimentos sociais da região.
O presidente da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Mauro Borges, liberou R$ 38,4 milhões para obras de subestação de Rio do Prado e linha de distribuição de Jequitinhonha a Rio do Prado.  Ele assinou, ainda, convênio de cooperação entre a Cemig e o município de Jequitinhonha para a realização de diagnósticos ambientais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.