terça-feira, 28 de Abril de 2015 13:14h Atualizado em 28 de Abril de 2015 às 13:17h.

Governo de Minas Gerais quer estreitar relações com Reino Unido

Secretários de Planejamento e de Fazenda apresentaram panorama econômico do Estado para a delegação britânica e líderes de empresas

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, reuniu-se nesta segunda-feira (27/4), no Palácio Tiradentes, em Belo Horizonte, com o embaixador do Reino Unido no Brasil, Alexander Ellis, e líderes de empresas e investidores para apresentar o Estado e abrir diálogo para futuras parcerias.
Coube aos secretários de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, e de Fazenda, José Afonso Bicalho, fazer um panorama da economia do Estado e destacar os planos da nova gestão em Minas Gerais para ampliar os investimentos.
Helvécio Magalhães destacou o potencial de Minas Gerais e a participação do Estado como terceira maior economia do Brasil. “É nosso desejo ampliar a relação com os países e acreditamos que temos ainda o que crescer na relação com o Reino Unido”, declarou.
Segundo o secretário, o foco da nova gestão é pular de uma economia do século 19 e 20 para uma economia do século 21. “Minas tem de dar um salto. Diagnosticamos a falta de um claro projeto de desenvolvimento. Estamos buscando parcerias para dar conta dessa tarefa”, afirmou. O governador Fernando Pimentel tem defendido que, para avançar neste ponto, Minas Gerais precisa buscar a economia do conhecimento.
O embaixador do Reino Unido no Brasil salientou o interesse do governo britânico em ampliar o eixo de atuação, hoje centrado em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, firmando acordos também com Minas Gerais. “Já temos parcerias com as universidades nas áreas de pesquisa e sustentabilidade. É prioridade a relação com o Estado, com uma cooperação muito mais profunda”, ressaltou Alexander Ellis.
O secretário de Fazenda, José Afonso Bicalho, apresentou um panorama da situação fiscal do Estado e ressaltou a importância de se fechar parcerias com grandes empresas para alavancar as finanças nos próximos quatro anos. “O quadro fiscal do Estado foi negativo nos últimos anos. Passou-se por uma fase de deterioração das finanças. É isso que precisamos reverter”, destacou.
A atuação da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) também ganhou destaque durante o encontro. Segundo o presidente da Codemig, Marco Antonio Castello Branco, um dos objetivos da companhia é ser uma empresa pública inovadora, reconhecida pela habilidade de estabelecer parcerias e gerar desenvolvimento para o Estado. “Com a ajuda da Codemig, vamos tornar os empreendimentos em Minas Gerais atrativos”, afirmou o presidente. Dados sobre a liderança da Cemig no país foram apresentados pelo superintendente de Negócios de Distribuição da empresa, César Vaz de Melo.
Além do embaixador do Reino Unido no Brasil, participaram da reunião o cônsul-geral no Rio de Janeiro, Jonathan Dunn, o cônsul Honorário em Belo Horizonte, José Antônio de Souza Neto, e o chefe da Assessoria Internacional do Governo de Minas, Rodrigo Perpétuo, além de representantes de empresas britânicas com atuação no Brasil.

Crédito (fotos): Manoel Marques/Imprensa MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.