quinta-feira, 25 de Julho de 2013 13:05h Redação

Governo de Minas repassa 42 milhões para segunda etapa das obras do Hospital Regional de Divinópolis

O governador Antônio Anastasia, juntamente com os deputados Fabiano Tolentino (PSD) e o Domingos Sávio (PSDB) e prefeitos da região, assinou ontem (23) no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, um convênio com a Prefeitura de Divinópolis, para repa

O governador Antônio Anastasia, juntamente com os deputados Fabiano Tolentino (PSD) e o Domingos Sávio (PSDB) e prefeitos da região, assinou ontem (23) no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, um convênio com a Prefeitura de Divinópolis, para repasse de R$ 42,9 milhões para a segunda etapa das obras de construção do Hospital Regional do município. A primeira etapa teve início em junho de 2010, quando o Estado liberou R$ 36 milhões. O investimento total do Governo de Minas na construção do hospital é de R$ 78,9 milhões.
“Sabemos sempre da necessidade de levarmos o atendimento à saúde, em todos os níveis, especialmente a alta complexidade, para mais próximo do cidadão, para evitar que a pessoa tenha que se deslocar. Isso, certamente, acontecerá nesse novo Hospital Regional, que vai ter melhores condições para atender o cidadão da região Centro-Oeste de nosso Estado”, disse o governador.

Tolentino reforçou a afirmação do governador Anastasia. “Divinópolis é uma cidade que já é referência na região e ofertar um atendimento hospitalar de qualidade é uma demanda antiga que estamos trabalhando para atender. Sabemos que a saúde é uma demanda infindável, mas justamente por isso temos que nos esforçarmos constantemente para conquistarmos melhorias”, comentou o parlamentar.

A previsão é que o Hospital Regional atenda cerca de 1,3 milhão de mineiros de 55 municípios do Centro-Oeste do estado. Com área construída de 23 mil metros quadradas, o hospital terá 400 leitos, sendo 40 de UTI, e atenderá a demandas de média e alta complexidade, se tornando a porta de referência da Rede de Urgência e Emergência no Centro-Oeste de Minas Gerais. Além da melhoria do atendimento à saúde na região, a instituição também irá gerar cerca de 800 empregos diretos.

O hospital terá UTI adulto e neonatal, centro de imagens, ambulatório, bloco cirúrgico e obstétrico, pronto-socorro e enfermarias. A concepção arquitetônica é horizontal, ou seja, em um só nível, o que significa menor custo operacional. O hospital está sendo construído dentro dos requisitos de sustentabilidade, com iluminação e ventilação natural e reuso de água. (com informações da Agência Minas)

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.