segunda-feira, 25 de Maio de 2015 10:00h

Governo federal garante acesso à água de qualidade nas escolas públicas rurais do Semiárido mineiro

Ação integra um conjunto de estratégias para promover a convivência das famílias da região com a estiagem

Os alunos das escolas públicas rurais do Semiárido mineiro terão acesso à água de qualidade graças ao projeto Cisternas nas Escolas, iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) em parceria com a Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA). Serão construídas 300 cisternas na região.

Para atender as escolas públicas rurais de Minas Gerais, o governo federal irá investir mais de R$ 2 milhões na construção dos reservatórios. De acordo com o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos, as cisternas evitam a contaminação por verminoses e doenças, contribuindo para que as crianças entendam como conviver com a seca. “Essas cisternas ampliam o acesso à água no ambiente escolar, servindo para consumo e preparo dos alimentos servidos nas escolas. A água é um direito das crianças”, afirmou.

A construção das cisternas de 52 mil litros nas escolas também pr evê a capacitação de gestores e professores para a gestão da água captada e armazenada. A iniciativa tem o objetivo de orientar os profissionais sobre a finalidade daquela água coletada, sobre a importância da educação alimentar e nutricional e temas de convivência com o Semiárido junto às crianças.

O projeto Cisternas nas Escolas será lançado nesta terça-feira (26), em Belo Horizonte (MG), durante o seminário Água, Sementes e Agricultura Familiar: Um Olhar sobre Semiárido Mineiro. Na ocasião, também ocorre o lançamento do projeto “Sementes do Semiárido”, com o objetivo de beneficiar pelo menos 640 famílias de agricultores de 12 municípios mineiros. Serão implantados 32 bancos, com investimento total de R$ 1,2 milhões.

Assim, os agricultores familiares terão acesso a sementes de qualidade (rústicas e adaptadas à região). A expectativa é ampliar a produção de alimentos que garantam a segurança alimentar e nutricional das famílias que já têm acesso à água por meio do Programa Água para Todos.

Os bancos comunitários de sementes integram um conjunto de ações de inclusão pr odutiva das famílias do Semiárido mineiro. “Este projeto vai ajudar a enfrentar um grande desafio no Semiárido que é a implantação de sistemas produtivos que convivam melhor com a realidade da região. A produção e a disponibilização de sementes e mudas adaptadas vão contribuir muito para isso”, destacou o secretário nacional.

Além de garantir o acesso das famílias a sementes de qualidade, o MDS já desenvolveu importantes ações para garantir que os sertanejos possam conviver com a seca. Em Minas Gerais, já foram instaladas 97 mil cisternas para captar água da chuva e ser usada para consumo das famílias mais pobres durante os períodos de estiagem. Outras 7,5 mil tecnologias sociais de água para produção foram entregues entre 2003 e abril de 2015.

As cisternas – soluções simples para captar e armazenar água da chuva – amenizam os efeitos da seca prolonga

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.