quinta-feira, 25 de Junho de 2015 13:53h

Governo libera R$ 747 milhões de financiamento para obra que reforça abastecimento de água em São Paulo

Incluída no PAC de forma emergencial, obra tem 90% do custo total financiado pelo BNDES

A presidenta Dilma Rousseff participou nesta quinta-feira (25), no Palácio do Planalto, da cerimônia de assinatura do contrato entre BNDES e Sabesp para liberação de crédito para apoio à obra de interligação das represas Jaguari e Atibainha, para aumentar a oferta de água no Sistema Cantareira e reforçar o abastecimento na região metropolitana de São Paulo.

A obra terá investimento de R$ 830,5 milhões, sendo R$ 747,45 milhões de financiamento do BNDES e R$ 83,05 milhões de contrapartida da Sabesp, que executará a obra. A operação de crédito tem prazo de 20 anos, incluídos os períodos de carência e amortização.

“Esse contrato de R$ 747 milhões vai viabilizar, junto com os recursos que o governo estadual colocará, maior segurança hídrica para o Estado de São Paulo. Não é a única [obra] que nós apoiamos. Estamos apoiando também o Sistema Produtor de água São Lourenço e, em 2012, nós também tínhamos apoiado a construção do Sistema Adutor do Alto Tietê”, destacou a presidenta Dilma Rousseff na cerimônia.

A interligação permitirá a transposição de uma vazão média de 5,1 metros cúbicos por segundo e máxima de 8,5 metros cúbicos por segundo no sentido Jaguari-Atibainha, interligando a bacia do Rio Paraíba do Sul às bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. No sentido inverso, Atibainha-Jaguari, a vazão máxima poderá ser de 12,2 metros cúbicos por segundo.

Incluída no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), de forma emergencial, em janeiro, a transposição irá beneficiar diretamente 39 municípios que compõem a Grande São Paulo. Beneficiará também, subsidiariamente, 20 municípios da região metropolitana de Campinas, pois o Sistema Cantareira, em condições normais, fornece uma vazão de 5 m³/s para a região.

O edital de licitação, que já está em andamento, foi publicado pela Sabesp em 12 de maio de 2015. O governo de São Paulo, responsável pela execução da obra, prevê sua conclusão em dezembro de 2016.

O empreendimento será contratado por meio do Regime Diferenciado de Contratação (RDC), sistema de licitação pública que evita burocracia e acelera o início e a entrega de obras.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.