Graças a intervenção de Bolsonaro, Bovespa cai 5%

Interferência na Petrobrás faz B3 enfrentar forte queda

23 FEV 2021

 CARLOS HENRIQUE MONTEIRO

Os índicies da bolsa de valores brasileira, fecharam em grave queda nesta segunda-feira (22), por conta da decisão do presidente Bolsonaro, que anunciou na noite de sexta-feira a indicação de um novo presidente executivo da Petrobras  e com agentes financeiros enxergando aumento relevante de risco de ingerência governamental nas demais estatais.

O Ibovespa caiu 4,87%, a 112.667 pontos. Na mínima do dia,o índice foi a 111.650 pontos.

A principal pressão no índice vem do tombo nos papéis da Petrobras

 As ações ordinárias (PETR3) derretiam 20,48%, a R$ 21,55, e as preferenciais (PETR4) tinham baixa de 21,51%, a R$ 21,45. A empresa tem peso de 10,27% no Ibovespa.

 

Na bolsa de Nova York, a Nyse, o tombo era semelhante. As ADRs (American Depositary Receipts) da Petrobras recuavam 20,25%.

 

Segundo levantamento da Economatica, com o tombo nas cotações, a Petrobras perdeu em poucas horas nesta segunda-feira quase R$ 75 bilhões em valor de mercado 
Foi a segunda maior queda diária em valor da mercado da Petrobras desde o início do plano Real. Na sexta-feira, a petroleira já tinha encolhido R$ 28 bilhões 

 

O medo é de uma intervenção do governo nos preços do setor de energia e na gestão de estatais. Além da petroleira, o Banco do Brasil acumulou perda expressiva. A Eletrobras começou o dia em queda, mas se recuperou.

Bolsonaro disse que precisa trocar as peças que porventura não estejam funcionando. E que, "na semana que vem, teremos mais", sem dar mais detalhes. Bolsonaro também disse no sábado que vai "meter o dedo na energia elétrica" e que, se a imprensa está preocupada com a troca, "na semana que vem teremos mais".

 

  • Banco do Brasil (BBAS3): -11,65%
  • Eletrobras (ELET3): -0,69%
  • Eletrobras (ELET6): -0,17%
  • Petrobras (PETR3): -20,48%
  • Petrobras (PETR4): -21,51%

 

Na sexta-feira, o Ibovespa fechou em queda de 0,64%, a 118.420 pontos, acumulando baixa de 0,84% na semana. Na parcial do mês, o índice acumulou declínio de 2,01%. No ano, o tombo está em 5,26%.

O dólar disparou, com alta de 1,26%, a R$ 5,4554

 A XP Investimentos, por exemplo, cortou a recomendação para os papéis da Petrobras de "neutro" para "venda" no domingo, em relatório sob o título "Não há mais como defender".

"As declarações recentes do presidente acendem um enorme sinal amarelo – senão vermelho ao cenário político local", afirmou o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, em comunicado a clientes.

 

 

© 2009-2021. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.