terça-feira, 1 de Dezembro de 2015 08:25h Atualizado em 1 de Dezembro de 2015 às 08:28h. Jotha Lee

Jaime Martins e Domingos podem repetir composição para eleições do ano que vem

Pré-candidato do PDT diz que poderá ter apoio do PSD e do PSDB

O blocão que reunião 15 partidos em 2008, garantindo a reeleição do prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) para seu segundo mandato, poderá se repetir no ano que vem. Se for confirmada a expectativa do vice-prefeito Rodrigo Resende (PDT), pré-candidato do partido à sucessão municipal no pleito de outubro de 2016, os deputados Jaime Martins (PSD) e Domingos Sávio (PSDB) poderão estar do mesmo lado, como ocorreu em 2008. Os dois deputados conseguiram aglutinar uma coligação com 15 partidos em torno do então candidato Vladimir Azevedo.
O apoio do prefeito Vladimir Azevedo à candidatura do seu vice-prefeito é explícito. Desde o início desse ano Rodrigo Resente participa de todos os eventos públicos promovidos pelo município e em muitas situações ele aparece sozinho negociando em nome da prefeitura. O prefeito também faz questão de citá-lo em toda realização que considera importante e já deu sinais claros de que Resende é o seu candidato para o ano que vem.
Com o apoio explícito de Vladimir, tudo converge para que o vice-prefeito tenha o apoio de todo o PSDB, que até agora não fez nenhuma manifestação pública sobre seu posicionamento para o pleito de 2016, como também não tem nenhum nome com o perfil vencedor para disputar a sucessão. Rodrigo Resende garante que já tem o apoio de Jaime Martins e afirma já estar conversando com o grupo do PSDB, o que significa a possibilidade de apoio de diversos partidos controlados pelos dois deputados federais. “Já tenho o apoio do Jaime [Martins], tentando o apoio do Domingos Sávio, do grupo do PSDB, isso já está decidido”, afirmou.
O blocão que possibilitou a eleição de Vladimir Azevedo no ano passado teve apoio dos federais Jaime Martins e Domingos Sávio, do Estadual Fabiano Tolentino e a coligação foi formada pelos partidos PRB, PP, PDT, PTB, PSL, PSC, PR, PPS, DEM, PRTB, PH, PMN, PSDB, PSD e PC do B. Para esse ano, certamente o PRB, agora sob o comando da ex-vereadora Heloisa Cerri, não vai apoiar o candidato oficial. O PPS, de Fabiano Tolentino, só não apoiará Rodrigo Resende, caso decida lançar candidatura própria.

 

DIFÍCIL
O vice-prefeito prevê uma eleição muito disputada, mas garante que está pronto para concorrer. “Vai ser uma eleição apertada, muito disputada, mas eu tenho boa expectativa”, assegurou. Rodrigo Resende disse que sua pré-candidatura já tem o apoio de seis partidos, porém não confirmou o acordo com o PSDB, mas nas entrelinhas deixou claro que a negociação já está adiantada. “Estamos conversando e a possibilidade de um acordo é muito boa. Muito importante o apoio que o Jaime vai dar, que eu vejo como um diferencial nessa eleição”, arrematou.
Quanto às demais pré-candidaturas, apenas Galileu Machado (PMDB), com o apoio todo o diretório municipal do partido, já está confirmado na disputa. O PT está em um profundo silêncio e, segundo uma fonte, há uma corrente dentro do partido contrária ao lançamento de candidato à prefeito de Divinópolis no ano que vem. No PRB, o nome da ex-vereadora Heloisa Cerri ganha força e ela já admite ser candidata pela legenda, da qual é presidente da comissão provisória na cidade. “O PRB colocará um nome para disputar o executivo. As dobradinhas poderão acontecer, na política, a arte do diálogo favorece as pessoas de boa vontade com a nossa cidade. No momento, estudamos o nome do futuro vice-prefeito para compor nossa chapa ao executivo. Já tivemos sim contato com o PMDB, como eles mesmos já afirmaram, vão decidir nome do vice com base em pesquisas. Nossa intenção é a candidatura própria. Não pensamos em ficar no poder, queremos sim, governar nossa cidade, tirá-la desta desmotivação que aí está”, afirmou.
O último nome lançado pré-candidato é do vereador Marquinhos Clementino (PROS), que deve mesmo ser a grande novidade na sucessão do ano que vem. O vereador já subiu o tom do seu discurso na Câmara, não tem poupado críticas sutis ao atual governo e tem o aval do presidente estadual do partido, responsável pelo lançamento de sua candidatura durante evento ocorrido no início do ano em Divinópolis. Em conversa com a reportagem tão logo seu nome foi lançado pelo presidente estadual do PROS, Clementino assegurou que está pronto e aceita o desafio.

 

Créditos: Arquivo/GO

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.