quinta-feira, 4 de Junho de 2015 10:28h Jotha Lee

Jaime Martins não descarta possibilidade de disputar a sucessão municipal

Deputado defende muita discussão para se chegar ao nome ideal

Embora as eleições que vão renovar as câmaras municipais e prefeituras ainda estejam relativamente distantes, a sucessão municipal já está sendo debatida pelos partidos políticos de Divinópolis. Alguns nomes já se colocam com candidatos à sucessão, porém dentro dos partidos ainda não há nenhum posicionamento público definitivo.
Até agora os ex-prefeitos Galileu Teixeira Machado (PMDB) e Demetrius Pereira (PT) já colocaram seus nomes à disposição de seus partidos. Já o também ex-prefeito Aristides Salgado, que deixou o PSOL por divergências partidárias, confirma que vai se filiar ao PPS, partido que se fundirá com o PSB. Diz que sua intenção é concorrer ao Executivo no ano que vem. “Vou me filiar ao PPS e meu nome será colocado à disposição da convenção. Quero disputar as eleições pois sei que ainda tenho muito a dar para Divinópolis”, garante.
O ex-prefeito Galileu Teixeira Machado, embora já se declare em campanha, tem uma batalha jurídica pela frente. Declarado inelegível pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, em razão de uma condenação por improbidade administrativa por não recolher dívidas trabalhistas, Galileu está tentando reverter a decisão. Seu primeiro recurso foi rejeitado pelo Tribunal e, agora, ele aguarda o julgamento de embargos infringentes – ferramenta jurídica utilizada quando não há unanimidade na decisão. Caso consiga modificar a sentença, Galileu não terá concorrente na disputa dentro do PMDB.
O ex-prefeito Demetrius Pereira colocou seu nome à disposição do PT, porém, caso decida mesmo disputar a sucessão de Vladimir Azevedo (PSDB) terá que enfrentar uma disputa interna no partido, já que o ex-secretário nacional da Juventude, Beto Cury, também pretende disputar a sucessão pela legenda. Entretanto, Beto Cury garante que entre ele e Demetrius não haverá disputa e o partido buscará o consenso.

JAIME MARTINS
O PSDB ainda não tem o nome que vai disputar a sucessão. O partido, que comanda a Prefeitura desde 2009, quando assumiu o atual prefeito Vladimir Azevedo, terá candidatura própria. A afirmação é do deputado federal Domingos Sávio, voz mais forte dos tucanos em Divinópolis. Ele diz que o partido buscará composições e assegura que o nome tucano para o pleito já está “em gestação”, mas ainda não há nada definitivo. “Ainda não temos uma definição clara, mas teremos candidato sim e vamos procurar compor fortes alianças partidárias”, garante.
O deputado federal Jaime Martins (PSD), cujo nome vem sendo ventilado em alguns setores como provável candidato a prefeito no ano que vem, não descarta a possibilidade, mas diz que a decisão tem que passar por um extenso debate. “Na verdade não existem os candidatos naturais. Várias pessoas estão trabalhando essa possibilidade, alguns setores chegam até a sugerir o meu nome, mas eu não tenho nenhum nome no bolso do colete para uma solução mágica”, afirma.
Para o deputado do PSD, a definição do candidato à sucessão de Vladimir deverá passar por um longo processo de discussão. “O que nós teremos que fazer é discutir muito. Discutir com a população, discutir com as entidades, que devem ser respeitadas. Discutir com o nosso partido, discutir com os demais partidos uma composição, para encontrarmos o nome que seja bom para nossa cidade. Um nome que tenha capacidade de gestão, que tenha pulso firme para comandar essa cidade no momento de uma travessia que sabemos que é difícil e que possa ter o apoio da população”, defende. “Temos ainda um ano para essa decisão e haveremos de ter a responsabilidade de encontrar um nome que seja bom para a cidade”, finaliza.

 


Crédito: Assessoria

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.