quarta-feira, 15 de Abril de 2015 13:32h

Jaques Wagner abre a LAAD 2015: “A indústria de defesa transborda para a indústria nacional como um todo”

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, abriu oficialmente a décima edição da feira LAAD Defense&Security, maior evento do setor em toda a América Latina, no Riocentro, zona oeste da capital fluminense

Em seu discurso, Wagner destacou o aumento nos investimentos governamentais na última década e a importância da indústria de defesa para o desenvolvimento da economia nacional. “Essa tecnologia que chega ao Brasil por meio da indústria de defesa qualifica pessoas, prepara quadros de nível elevado e desenvolve o saber nacional, o que, inevitavelmente, será transferido também para a indústria como um todo. É assim em outros países e será assim também no Brasil”, destacou o ministro diante de uma plateia repleta de autoridades civis e militares das cerca de 150 delegações de 71 países que participam da LAAD 2015.

Wagner relembrou a orientação política do governo federal de intensificar os investimentos no setor de defesa. “O Governo brasileiro tomou a decisão, há mais de uma década, de investir na modernização das nossas Forças Armadas e incentivar o setor de defesa”, disse. Entre 2003 e 2014, os recursos empregados pelo Ministério da Defesa em custeio e investimento aumentaram quase seis vezes – saltando de R$ 3,7 bilhões para R$ 19,6 bilhões em 2014. O Brasil é responsável por 41% dos investimentos em defesa na América Latina.

O ministro reafirmou que o Brasil permanece sendo um país de tradição pacífica e defensor da conciliação na relação entre os países – sendo, inclusive, ator ativo em diferentes missões de paz das Nações Unidas. Por outro lado, destacou a necessidade de termos uma eficiente estratégia de dissuasão para defesa permanente de nossos interesses nacionais. “Apesar de sermos conhecidos e de sermos, efetivamente, um país da paz e da conciliação, nós entendemos que soberania e defesa da nossa gente, do nosso território, e dos nossos recursos naturais, cada vez mais escassos, fazem com que nós tenhamos de estar preparados para qualquer afronta à nossa soberania. Portanto a nossa pregação da paz não nos faz descuidar da nossa profissionalização, da atualização das nossas Forças Armadas através do Ministério da Defesa”, avaliou Jaques Wagner.

Projetos estratégicos das Forças Armadas foram citados nominalmente pelo ministro em seu discurso: o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) da Marinha, que prevê a construção de uma unidade de propulsão nuclear; o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron) do Exército; e o projeto FX-2, que modernizará a Força Aérea Brasileira (FAB) com os caças Gripen NG, desenvolvidos em parceria com a empresa sueca Saab.

Por fim, o ministro destacou que essa é “a maior LAAD de todas” e desejou a todos bons negócios. Após uma concorrida entrevista coletiva, Jaques Wagner visitou estandes nos cinco pavilhões da feira, que conta com cerca de 700 expositores.

Ao lado do ministro Jaques Wagner, na mesa de abertura, estavam presentes o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão; o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi; o comandante da Marinha, almirante Eduardo Barcellar Leal Ferreira; o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas; o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Rossato; a secretária-geral do Ministério da Defesa, Eva Chiavon; o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde), Sami HAssuani; e o diretor-geral da Clarion, empresa organizadora da LAAD 2015, Sérgio Jardim.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.