Jorge Periquito fala se assumirá o diretório do PRTB

Ele explicou que existiu uma briga entre o senador Clésio Andrade e o PRTB do Estado de Minas Gerais, essa disputa foi parar no Judiciário, e a justiça concedeu uma liminar

Durante o lançamento da pré-candidatura da Dr. Heloísa Cerri pelo Partido Verde (PV), na terça-feira, à noite, no Espaço Cultural da Tia Elza, o presidente Estadual do PRTB, Jorge Periquito, que estava presente no encontro, ressaltou para a Gazeta do Oeste, sobre a decisão da justiça para ele assumir o diretório do PRTB.

 


Ele explicou que existiu uma briga entre o senador Clésio Andrade e o PRTB do Estado de Minas Gerais, essa disputa foi parar no Judiciário, e a justiça concedeu uma liminar para que Periquito continuasse comandando o partido no Estado “Nós construímos o partido desde 2007, nós assumimos na eleição do Fabiano Tolentino, que inclusive na véspera da eleição o partido em Divinópolis corria o risco até de não poder ser candidato. Em 2010 nós montamos a melhor chapa de Deputado Estadual do Estado. Eu conversei com o Tolentino e falei com ele que era a melhor chance da sua vida”, disse.

 


Ainda de acordo com Jorge Periquito,  Tolentino estava muito resistente porque era seu primeiro mandato. “Quando nós fizemos os dois deputados com menos votos da história de Minas, o partido ficou muito prejudicado. Alguns partidos não tinham feito nenhum deputado, outros como do próprio vice-governador fez um, e o PRTB fez dois. Houve uma interferência política, com a  nomeação de uma nova comissão em Minas Gerais e uma nova diretoria sem o meu consentimento e já declarando oposição ao Governo de Minas. Os Deputados me ligaram, tanto o Fabiano, quanto o Cássio Soares e conversamos, e devido aquele posicionamento, definimos as trocas dos deputados de partidos, quando então vários foram para o PSD”, esclareceu.

 


Ao perguntar para Jorge Periquito se existiu uma intenção por parte do PRTB em expulsar o vereador Milton Donizete por infidelidade, ele relatou que na eleição da mesa da Câmara Municipal passada, o partido definiu que Milton Donizete deveria adotar uma outra posição. “Naquele momento ele me convidou para ir até a casa dele, eu fui, tivemos uma conversa muito franca onde eu deixei claro que o dono do voto era ele e que o partido o estava orientando. Disse a ele que escolhesse o lado que gostaria de ficar, se era do lado da executiva nomeada pelo Senador Clésio ou do nosso lado. Ele não só decidiu como publicou isso no seu voto e para mim ficou decidido e claro que ele escolheu um lado. Mas, continuo  admirando, tendo um com um carinho especial por ele”, declarou.

 


De acordo com Jorge Periquito, a decisão final sobre a questão de assumir o diretório foi dada pela justiça. “Nós conseguimos na justiça reaver a direção do partido, numa manobra jurídica eles conseguiram uma conexão entre duas ações. Enfim, Divinópolis é uma cidade que nós temos o compromisso, foi daqui que nós fizemos o Deputado Estadual do partido e uma base de vereadores onde foi o maior partido de Divinópolis na última eleição, tanto para Municipal, quanto para as eleições estaduais. Acredito que até no máximo segunda-feira nós já teremos uma nova Comissão. O partido está unido, mesmo com essas divergências que deixam as pessoas confusas, mais a garantia que eu posso dar é que a nossa briga não é para prejudicar os filiados e sim para garantir exatamente o direito deles de se candidatarem e de terem liberdade nas ações políticas, então é sobre esse prisma que é o principal desejo nosso”, finalizou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.