segunda-feira, 27 de Agosto de 2012 10:07h Gazeta do Oeste

Lacerda avalia que Aécio tem o mesmo poder de Lula para transferir votos

A influência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no eleitorado de Belo Horizonte foi desdenhada nesse domingo pelo prefeito e candidato à reeleição Marcio Lacerda (PSB). Ao ser questionado sobre a vinda do petista à capital para um evento promovido pelo seu principal adversário, Patrus Ananias (PT), o candidato rebateu que o senador Aécio Neves (PSDB) teria o mesmo poder de transferência de votos que Lula – segundo pesquisas de opinião – e lembrou que em 2010 o tucano foi um dos responsáveis pela vitória de Antonio Anastasia (PSDB) sobre Hélio Costa (PMDB), que tinha Patrus como candidato a vice e era apoiado pelo ex-presidente. E aproveitou para uma brincadeira: “No dia 31, não sei qual será a nossa agenda, mas vamos rezar para ter uma grande chuva para atrapalhar o evento deles.” Patrus, no entanto, não gostou da fala do rival. Considerou um “desrespeito” ao ex-presidente Lula.

 

No fim de semana, um depoimento de Aécio Neves a favor de Marcio Lacerda começou a ser veiculado nas inserções de rádio e televisão. O comando da campanha ainda discute quando o senador vai aparecer no programa eleitoral e a sua participação efetiva nas ruas. Esse seria um dos assuntos de uma reunião marcada para a tarde de ontem. Por enquanto, já está agendada a participação de Aécio no sábado que vem pela manhã, quando será promovido um abraço e bandeiraço na Avenida do Contorno, com a ocupação de 40 pontos por militantes e simpatizantes da candidatura de Lacerda. O evento será no dia seguinte à vinda de Lula.

 

 

De acordo com uma fonte da campanha tucana, a princípio o senador Aécio Neves será usado como um “curinga”: sua imagem será mais explorada apenas se houver uma queda do prefeito nas pesquisas e ascensão de Patrus Ananias. “Até agora, não precisamos transformar as eleições em um padrinho nacional versus um padrinho estadual. Basta continuar mostrando o que foi Patrus e o Marcio. Se houver uma alteração nas pesquisas, aí o Aécio entrará firme”, contou.

 

Outra estratégia que vem sendo adotada é lembrar ao eleitor que o prefeito atuou no governo Lula como secretário-executivo de Ciro Gomes, então ministro da Integração Nacional. Em todos os programas o cargo está sendo incluído no currículo do candidato, o que já levou a uma reação de Patrus. Anteontem, o petista classificou de “marginal” a participação do seu adversário no governo em que ele comandou o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, responsável por boa parte dos programas sociais do Palácio do Planalto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EM

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.