sábado, 12 de Dezembro de 2015 03:43h Atualizado em 12 de Dezembro de 2015 às 03:46h. Jotha Lee

Líder do prefeito solta o verbo e diz que falta respeito entre os vereadores

Adilson Quadros diz que atitudes no plenário são desmoralizantes

As sessões da Câmara Municipal de Divinópolis não são marcadas exatamente pelo bom desempenho de seus vereadores ou por discussões que apontem soluções para problemas coletivos. Embora temas importante façam parte de alguns debates, essa não é a regra, especialmente diante da aproximação de mais uma eleição, o que torna o plenário da Câmara muito mais um palanque eleitoral do que uma tribuna de defesa do cidadão.
Além da falta de conteúdo prático e de interesse coletivo, também chama a atenção nas sessões da Câmara Municipal a descompostura da maioria dos vereadores. Há situações vexatórias, como por exemplo, vereador que entra no plenário, registra a presença e depois desaparece, só retornando ao final da sessão. Em outras situações, e isso já foi comprovado e registrado pela reportagem, vereador que nem mesmo se encontra na Casa, tem sua presença registrada como presente à reunião.
Como se não bastasse, o cidadão que comparece ao plenário para assistir à sessão presencia cenas hilárias, protagonizadas por vereadores que fazem da reunião um verdadeiro circo, com piadas, brincadeiras e um vai e vem pelo plenário como se fosse uma praça de lazer. Junte-se a isso o desrespeito que há entre os próprios vereadores, que durante os pronunciamentos dos colegas, alguns falam ao telefone, outros conversam assuntos variados, ignorando e causando constrangimentos para quem está usando seu tempo na tribuna. Dois ou três vereadores, se tanto, se comportam como exige a liturgia do parlamento.

 

IRRITAÇÃO
Irritado com essa postura dos colegas, o vereador Adilson Quadros (PSDB), líder do prefeito na Câmara, conhecido por sua educação e cordialidade, saiu de sua zona de conforto e fez um duro pronunciamento, condenando as atitudes transgressoras cometidas por seus pares. Usando a tribuna, Adilson pediu respeito e exigiu do presidente Rodrigo Kaboja (PSL) que o vereador que não se comportar conforme as regras éticas, seja convidado a se retirar do plenário. “A gente, às vezes, fica envergonhado das pessoas que vêm aqui e assistem a essa falta de respeito dos colegas conosco mesmos”, disparou.
Para o líder do prefeito, a desmoralização política começa pela falta de respeito que há dentro da própria classe. “A política está desmoralizada é por isso mesmo, é por falta de respeito entre nós mesmos. A gente tem que se valorizar, já basta o que todo mundo fala contra nós”, argumentou.
Dirigindo-se diretamente ao presidente da Câmara, Rodrigo Vasconcelos de Almeida Kaboja (PSL), Adilson Quadros foi enfático. “Eu pediria, senhor presidente, por favor, que quando alguém tiver que conversar com o senhor, que o senhor se retirasse daí [da Mesa Diretora] e passasse para o Careca [vice-presidente] e quando alguém tiver ocupando essa situação aí [a presidência], que demonstrasse respeito para quem estiver falando”, exigiu. “Eu discordo de muita coisa que o Anderson [Saleme] fala, discordo de muita coisa que o Adair [Otaviano] fala, mas eu os respeito porque foram eleitos e são pessoas dignas, são pessoas trabalhadoras e eu tenho por eles muito respeito”, exemplificou.
Em tom quase indignado, Adilson Quadros afirmou que tem vereador que não respeita nem mesmo a leitura de um versículo da Bíblia, que ocorre na abertura de todas as sessões. “Nós estamos pecando pela falta de respeito conosco mesmos. Até na hora da leitura da Bíblia Sagrada, tem um conversando aqui, tem outro conversando ali. Isso é desmoralizante para nós. Eu estou falando isso aqui [no plenário] agora, mas já desabafei isso lá dentro [no plenarinho]. Na medida em que nós não nos respeitarmos, se enquanto um está falando ali, o outro está tagarelando do lado, pelo amor de Deus, isso é desrespeito”, criticou.
Adilson Quadros disse ainda que o comportamento dos vereadores durante aas sessões, leva o cidadão a classificar o plenário como um bando de moleques. “Nós aqui, indiferente da posição, precisamos respeitar a todos. Ora, se eu não demonstrar respeito quando alguém estiver falando, se eu ficar para lá e para cá, é desmoralizante. Se alguém tem alguma coisa para falar, que se retire para fora do plenário. Eu fico com vergonha, porque as pessoas falam que é um bando de moleques que está aqui.É desmoralizante, é triste, é doloroso para gente”, constatou.
Ao final do seu pronunciamento, Adilson Quadros reafirmou o pedido ao presidente da Câmara que convide o vereador a se retirar do plenário, quando este estiver comportando de maneira inadequada. “É um apelo que eu faço, que o colega seja respeitado. É questão de ética. Nós, os homens públicos, estamos desmoralizados, porque nós não nos damos ao respeito. É fundamental que cada um respeite o colega, mesmo que tenham posições divergentes”, finalizou. Rodrigo Kaboja garantiu que vai acatar o pedido do tucano.

 

Créditos: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.