Mais de R$ 280 mil gastos com gabinetes

Confira a lista com o ranking de vereadores, que mais gastaram em 2011

R$ 281.107,37, esse foi o montante gasto pela Câmara Municipal de Divinópolis, no período de janeiro a novembro de 2011, para cobrir as Despesas de Gabinetes de seus 13 vereadores. Até fevereiro, a planilha de gastos incluía locação de veículo - R$1009,29 por vereador - após esse período os recursos foram, exclusivamente, para cobrir: material de consumo, telefonia móvel e fixa, combustível, postagem (selo) e diárias/viagens. Na comparação entre os edis, Geraldinho da Saúde (PR) foi o que mais gastou atingindo o valor de R$ 31.005,26 e Heloísa Cerri (PV) a mais econômica com R$ 13.391.33, ou seja, uma diferença de R$17.613.93 entre os parlamentares.
A liderança no ranking de gastos é justificada pelo vereador Geraldinho da Saúde pelos atendimentos que seu gabinete faz referente às demandas da Comissão de Saúde, a qual ele atua como presidente há três anos. O edil afirma que um grande número de pessoas procuram a Câmara para fazerem denúncias ou procurar orientações, já que as vezes falta na “ponta” um atendimento adequado aos cidadãos.  “Se você for analisar os gastos tem muito a ver com telefonia porque vem um número muito grande de pessoas, uma média de 50 pessoas, no meu gabinete justamente pedindo orientação da minha assessoria e minha na questão de resolução de problemas de saúde”, declarou.
O edil disse que a Comissão de Saúde não tem uma dotação orçamentária própria para fazer os atendimentos ao contrário da de Direitos Humanos. “A Comissão de Saúde não tem um estrutura própria então tenho que gastar do material de escritório do meu gabinete, xerox  para atender as denúncias. Minha equipe é muito séria e os gastos, que são feitos é tudo para material e o que temos para usar para a população, que é telefonia para comunicar ao setor competente as denúncias que chegam até a gente”, ressaltou
Viagens
Outro argumento, apontado por Geraldinho é o fato de 2011 ter sido um ano que ele viajou buscando alternativas para o hospital público, além de outras iniciativas para a área da saúde. “Fui em Uberaba, para verificar alternativas para o projeto Medicamento em Casa, que o senhor prefeito já está avaliando para começar em Divinópolis. Além disso, tivemos a questão do Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e Drogas (CAPS-AD), que eu estive com o ministro da saúde, em Brasília, e com a equipe técnica, em Belo Horizonte, ou seja, foram duas visitas quase que consecutivas buscando alternativas”, declarou.
Tranquilidade
O vereador alega estar tranquilo em relação ao gastos já que tudo que é feito é voltado para o atendimento as demandas da população. “Estou muito tranquilo com a relação dos gastos, às vezes a gente pode até assustar mesmo, mas quando você acompanha que a gente trabalha muito e se estou a três anos na Comissão de Saúde é porque eu tenho trabalhado, graças a Deus”, disse.
Economia
A vereadora Heloísa Cerri (PV), que na lista está como a mais econômica dos edis,  afirmou que desde que assumiu seu mandato na Câmara dispensou o carro e telefone celular no sentido de economizar ao máximo o dinheiro público. A orientação dada a seus assessores parlamentares também foi de economizar ao máximo possível tudo como  cópias de xerox, material de escritório, copo descartável , papel A4, telefonia. “Não é o fato do povo estar pagando minhas contas, que não temos que ter zelo pelo dinheiro público”, declarou. A vereadora ressaltou ainda que essa economia é no sentido de dar “bons exemplos” de compromisso e responsabilidade com o gasto do dinheiro público no meio político.
Questionamento
A vereadora Heloisa Cerri questionou e classificou de uma forma “não ética” o fato do vereador e ex-presidente, Pastor Paulo César, ter transferidos, em março de 2011, os gastos de aluguel de veículos para a Divisão de Transportes sendo que antes os mesmos eram lançados nas planilhas de cada edil.
A reportagem questionou o atual presidente Anderson Saleme sobre o fato e se em sua administração ele pretendia lançar novamente os gastos nas planilhas dos edis. Em resposta, Saleme alegou que Divisão de Transportes existe tão somente para administrar os veículos da Câmara incluindo os gastos e as despesas. “O que ela está dizendo talvez ela não conheça a estrutura administrativa da Câmara não procede, porque não justifica ter a Divisão de Transporte sem administração dos gastos dos veículos, dos motoristas, das despesas”, declarou.  Anderson afirmou ainda que o vereador Paulo César fez a mudança em face de uma exigência do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais.
Acompanhamento
O acompanhamento dos gastos dos vereadores pode ser verificado por todos os cidadãos, no portal do Legislativo municipal, (www.camaradiv.mg.gov.br), no tópico “Transparência“ na subseção “Gastos Gabinetes”, que traz a relação mês a mês de despesas dos edis.

Ranking de gastos:


Geraldinho da Saúde (PR):  R$ 31.055,26
Edson Sousa (PSB):  R$ R$28.193,20
Adair Otaviano (PMDB): R$ 26.967,19
Hilton de Aguiar (PMDB): R$25.559,94
Roberto Bento (PTdoB): R$23.434,07
Anderson Saleme (PR): R$22.989,20
Milton Donizete (PRTB) R$21.707,00
Beto Machado (PSDB) R$ 21.411,75
Edmar Rodrigues (PSD): R$ 19.274,49
Rodyson do Zé Milton (PSDB): R$ 15.866,36
Paduano (DEM):  R$15.828,61
Pastor  Paulo César (PRB) R$ 15.428,97
Heloisa Cerri (PV) R$ 13.391,33
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.