sábado, 27 de Agosto de 2011 13:51h Flávia Brandão

Manifestação está sendo organizada contra o assassinato da juíza Patrícia Acioli

Passeata saíra da Praça da Catedral em direção ao Fórum de Divinópolis

Uma manifestação está sendo organizada em Divinópolis para protestar contra o assassinato  da  juíza Patrícia Acioli, morta brutalmente com 21 tiros, no último dia 12, quando chegava em casa, em Niterói, estado do Rio de Janeiro. De acordo com o vereador Edson Sousa (sem partido), no próximo dia 05, será realizado um encontro com juiz Marcelo Paulo Salgado, diretor do Fórum de Divinópolis, para discutir as diretrizes dessa manifestação, que tem o intuito de enviar um protesto para todo o Brasil.

 

 

Edson Sousa afirma que os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, os partidos políticos e várias entidades do município estarão presentes nessa ação. “Nós estamos no movimento com o Fórum, OAB, Ministério Público, poder Legislativo, Executivo, com todos os partidos políticos, Maçonaria, Lions, Rotary para que no dia 12 de setembro, quando faz um mês da morte da juíza Patrícia, possamos fazer uma caminhada da Praça da Catedral até o Fórum e selecionar 21 pessoas, para que possam colocar em um altar da vida 21 Constituições para dar uma resposta a essa corja de bandidos, que covardemente mataram essa juíza, que tão bem vinha fazendo  o seu trabalho cumprindo a lei”, declarou o vereador.


Protesto

 

O parlamentar explicou que a manifestação será um protesto de Divinópolis contra esse assassinato que atingiu não o Judiciário, mas sim a todo povo brasileiro. “O juiz é um patrimônio de um povo, uma pessoa ponderada, sábia que julga o conflito de um povo. Sempre foi assim na historia da caminhada humana. Divinópolis não vai aceitar e ficar omissa diante dessa covardia e vamos mandar um recado para o Brasil, porque não foi o Judiciário que foi atingido, mas sim todo o povo brasileiro”, declarou 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.