sexta-feira, 14 de Setembro de 2012 16:15h Gazeta do Oeste

Medalha reverencia memória de Juscelino Kubitschek

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), participou, na última quarta-feira, da solenidade de entrega da medalha JK em Diamantina. A cerimônia, realizada anualmente na data de aniversário do ex-presidente Juscelino Kubitschek, homenageia personalidades e instituições que contribuíram para o desenvolvimento do município, do Estado e do País.

 


Neste ano, em que se comemoram os 110 anos de nascimento de JK, foram 121 condecorações. Entre os agraciados, estavam os deputados Luiz Henrique (PSDB) e Bonifácio Mourão (PSDB). Também foram homenageados o reitor da UFMG, Clélio Campolina, a presidente do Tribunal Regional do Trabalho, Deoclecia Amorelli Dias, a embaixadora de Barbados, Yvette Adele Goddard, o grupo Galpão e quatro escolas que se destacaram no Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb) em 2011.

 

O orador oficial da solenidade foi o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Joaquim Herculano Rodrigues. Em seu discurso, ele defendeu a necessidade de aumento da alíquota da Compensação Federal pela Exploração Mineral (Cfem), que é de 2% sobre o valor líquido da produção. Segundo ele, em alguns países essa alíquota chega a 8%. Sobre Juscelino Kubitschek, o desembargador destacou sua visão de futuro, alegria e carisma. “As pessoas admiravam seu espírito cosmopolita e seu entusiasmo”, afirmou.

 

Já o governador Antônio Anastasia ressaltou os investimentos feitos em energia e transporte por Juscelino Kubitschek, em suas gestões como governador de Minas Gerais e como presidente da República. “O desenvolvimento brasileiro dos últimos 50 anos se deve a Minas e a Juscelino”, defendeu. O prefeito de Diamantina, Padre Gê (PMDB), por sua vez, disse que JK foi símbolo de gentileza, respeito e simpatia. “Ele ensinou ao Brasil o exercício da política saudável, sem rancores e revanchismos”, destacou.

 


Os agraciados com a Medalha JK são escolhidos por um conselho formado por representantes da ALMG, do Tribunal de Justiça, da Secretaria de Estado de Cultura, da prefeitura de Diamantina, da Casa de Juscelino, do Instituto JK e da família do ex-presidente. A cerimônia é prestigiada por autoridades e lideranças políticas locais, magistrados, jornalistas, militares, empresários, médicos e advogados.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.