segunda-feira, 20 de Julho de 2015 09:56h Atualizado em 20 de Julho de 2015 às 09:58h. Jotha Lee

MG-050 é classificada como rodovia da morte pela Secretaria de Defesa Social

Divinópolis é o 11º município do Estado em registro de acidentes rodoviários

“Considerando os últimos dois anos (2013 e 2014), a rodovia MG-050, concedida ao setor privado em meados de 2007, faz jus ao título de ‘rodovia da morte’ de Minas Gerais”. Foi com essa informação inicial que a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) abriu o conteúdo de divulgação do Diagnóstico de Acidentes de Trânsito – Minas Gerais, referente às estatísticas de acidentes rodoviários de 2013 e 2014. Segundo o diagnóstico, a MG-050, que liga a Região Metropolitana de Belo Horizonte a São Sebastião do Paraíso, na divisa com o Estado de São Paulo, teve no período um resultado acumulado de 110 vítimas fatais. Em segundo lugar, aparece a BR-381 (Fernão Dias), uma das estradas mais violentas que cortam o Estado, que registrou 107 vítimas fatais.
Nos acidentes com vítimas fatais de 2013 a 2014, os automóveis apareceram em maior número. Foram 36% dos veículos envolvidos. Em seguida, vieram as motocicletas, com 27% do total. Os caminhões responderam por 11%, as caminhonetes por 5% e os ônibus por 4%.
O Diagnóstico de Acidentes de Trânsito traçou um perfil das vítimas dos acidentes em todas as regiões de segurança do Estado. Segundo o levantamento, na 7ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp), com sede em Divinópolis, que abrange cerca de 70 municípios na região Central do Estado, 78,3% das mortes foram de pessoas do sexo masculino, 21,3% do sexo feminino, e 0,4% não foram anotados nos boletins de ocorrência.
O estudo mostra que, no mesmo período, as vítimas fatais e vítimas graves ou inconscientes foram principalmente pessoas no auge da capacidade produtiva. Nada menos do que 68% das vítimas tinham idade entre 18 e 44 anos. Os maiores percentuais incidiram nas faixas etárias de 18 a 24 anos (24,1%) e de 35 a 44 anos (17,2%).
No período de 2013 a 2014, a principal causa presumida dos acidentes com pelo menos uma vítima fatal ou grave ou inconsciente foi a falta de atenção (19,75%). Outras causas importantes pela ordem de incidência foram velocidade incompatível (4,2%), derrapagem (4,1%), animal na pista (3,3%) e contramão de direção (3,7%).
Ainda segundo o diagnóstico, os principais tipos de acidentes no período de 2013 a 2014 foram a colisão lateral (25,8%), atropelamento de pessoa (12,5%), queda de veículo (11,8%), choque (quando o veículo atinge uma barreira fixa, como um muro ou uma árvore) e colisão frontal (10,1%).

 

DIVINÓPOLIS
Segundo a Seds, o trecho mais violento da MG-050 é o que atravessa o município de Divinópolis, sendo 15 quilômetros no perímetro urbano, cortados pelo Anel Rodoviário. De acordo com a Concessionária Nascentes das Gerais, que administra a rodovia, cerca de 10 mil veículos passam diariamente pelo Anel que, após a concessão, ganhou uma segunda ponte sobre o Rio Itapecerica e terceira faixa próximo à Vila Romana.  No ano passado, a concessionária anunciou a duplicação de mais de 10 quilômetros no trecho, porém ainda não há data para início das obras, já que o projeto está passando por readequações.
Em 2013, a Região Integrada de Segurança Pública (Risp) Divinópolis foi a terceira mais violenta do Estado, registrando 19 mortes para cada 100 mil habitantes e 3,9 óbitos para cada 10 mil veículos. Em 2014, houve uma ligeira redução e Divinópolis ficou em quinto lugar, com registro de 17,1 mortes por 100 mil habitante, e 3,3 por 10 mil veículos.
No ranking dos 20 municípios com os maiores quantitativos de acidentes de trânsito no Estado de Minas Gerais, com referência a 2014 e 2015, Divinópolis aparece em 11º lugar. O levantamento de 2015 corresponde até o mês de junho. De acordo com a Seds, somente no município de Divinópolis, foram registrados 3.526 acidentes de trânsito em 2014, dos quais 1.131 com vítimas. Já em 2015, até o mês de junho, foram 1.049 acidentes, 360 com vítimas.

 

NASCENTES
Em nota, a Nascentes das Gerais informou que a comparação dos acidentes verificados nos 371,4 quilômetros de extensão do Sistema MG-050 aponta para uma tendência de queda nas ocorrências nos dois últimos anos. “Em 2014, o número de acidentes com vítimas fatais ficou em 32, cerca de 48% menor que o verificado em 2013 (62). Assim, analisando as estatísticas da concessionária, feitas com base em boletins de ocorrência da Polícia Militar Rodoviária Estadual, os acidentes na MG-050 registram queda no trecho administrado”, informa.
Sobre os acidentes verificados em Divinópolis, no perímetro urbano cotado pela MG-050, a concessionária disse que também houve queda na comparação entre 2013 e 2014. Do quilômetro 118 ao 132, houve redução no número de vítimas fatais. No ano passado, foram seis vítimas fatais, 57% abaixo dos registros de 2013. Ainda segundo a concessionária, das seis vítimas fatais no Anel Rodoviário em 2014, dois óbitos (33% do total) foram originados por atropelamentos. Ainda em 2014, ocorreu um engavetamento e uma colisão transversal no perímetro urbano da cidade, que resultou em uma vítima fatal.
Ainda segundo a Nascentes das Gerais, “o conflito entre o tráfego urbano e rodoviário será resolvido nos próximos dois anos, quando serão duplicados aproximadamente 12 quilômetros da rodovia na cidade, com investimento de aproximadamente R$ 100 milhões da concessionária em obras.”

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.