sexta-feira, 14 de Novembro de 2014 05:03h Atualizado em 14 de Novembro de 2014 às 05:25h. Jotha Lee

Ministério da Saúde libera R$ 3 milhões anuais para custeio da UPA

Prefeitura ainda não sabe quando o dinheiro começará a ser depositado

Em um encontro com a imprensa ocorrido há dez dias, o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) criticou duramente o governo federal pela falta de recursos para custeio e manutenção da UPA 24h. Vladimir assegurou que desde a inauguração oficial da unidade, no início do ano, o Ministério da Saúde não havia enviado nem um centavo para a manutenção das atividades da principal unidade de emergência da cidade.
Na edição de ontem do Diário Oficial da União, o Ministério da Saúde publicou portaria pela qual o governo federal começa a repassar anualmente R$ 3 milhões para a manutenção, custeio, qualificação e ampliação da UPA 24h. Serão liberados R$ 250 mil ao mês e o dinheiro já está disponível, já que a portaria está valendo desde ontem, data de sua publicação.
A Secretaria Municipal de Saúde explicou que esses recursos deveriam ter sido liberados no início do mês de outubro, entretanto, houve um erro na publicação, exigindo que fossem feitas as alterações publicadas ontem. A Secretaria está na expectativa da liberação da primeira parcela dos recursos até o dia 10 de dezembro.
Embora não seja o suficiente, o governo municipal considera que os recursos serão muito importantes para ajudar o município. A UPA, desde que foi entregue à iniciativa privada através da administração da Santa Casa de Caridade da cidade de Formiga, custa aos cofres da Prefeitura R$ 1,599 milhão ao mês. Entretanto, com a oficialização da concessão, a empresa administradora arca com todos os custos para custeio e manutenção da unidade.

 

 

 

ATENDIMENTOS
O último balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde apontou que mais de 13 mil pacientes, o que representa aproximadamente 300 pessoas por dia, utilizaram os serviços da UPA 24h nos últimos cinco meses. O balanço mostrou ainda que houve redução do tempo de encaminhamento e espera por internação nos hospitais do município e região.
O corpo clínico da unidade é composto por 80 médicos entre ortopedistas, clínicos gerais, cirurgiões, pediatras, neurologistas, bucomaxilofaciais e otorrinolaringologistas. De acordo com Marco Aurélio Lobão, diretor técnico da unidade, a UPA é considerada restrita a casos graves, porém ainda tem registrado alto número de atendimentos classificados de menor urgência e que poderiam ser resolvidos nos postos de Saúde.
“A unidade deve ser responsável pelo atendimento de urgência e emergência. As pessoas estão começando a entender essa finalidade e, com isso, têm destinado esses atendimentos para os postos de saúde de seus bairros. Contudo, ainda estamos tendo muitos atendimentos nessas categorias”, afirmou Marco Aurélio.
Para o vereador Edimilson Andrade (PT), presidente da Comissão de Saúde da Câmara, a liberação dos R$ 3 milhões demonstra que o governo federal é parceiro de Divinópolis nas soluções dos problemas de saúde. “Esses recurso significam um importante reforço de caixa para a UPA”, assegurou.

 

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.