segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2016 12:54h Atualizado em 22 de Fevereiro de 2016 às 12:56h. Agência Brasil

Moro diz que é preciso evitar que dinheiro do crime contamine eleições deste ano

O juiz federal Sérgio Moro disse hoje (22) que é preciso prevenir que dinheiro de origem criminosa contamine as eleições municipais de outubro

A manifestação do juiz está na decisão na qual ele decretou as prisões da 23ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada hoje (22). Por decisão do juiz, foram emitidos oito mandados de prisão decretados, entre eles o do publicitário João Santana e de sua mulher, Mônica Moura.

 

Para justificar as prisões preventivas dos investigados, Moro disse que as medidas são necessárias, devido à longa duração do cometimento dos crimes de corrupção.

“Seria também ela [prisão] necessária para interromper a prática delitiva, o que parece ser imperativo diante da aparente habitualidade dos investigados em aceitar pagamentos subreptícios de serviços, máxime considerando que 2016 é ano eleitoral no Brasil, e é preciso prevenir que dinheiro de possível origem criminosa contamine as eleições vindouras”. argumentou o juiz.

No despacho, o magistrado também disse que as investigações da Lava Jato revelam o “grau de deterioração da coisa pública”. Para o juiz, a parte da investigação que mostra supostos pagamentos para parlamentares, com recursos desviados da Petrobras, compromete “qualidade de nossa democracia”.

A defesa do publicitário João Santana e de sua mulher, Mônica Moura, informaram ao juiz federal Sérgio Moro que eles vão se entregar à Polícia Federal assim que desembarcarem no Brasil. Santana e a esposa tiveram prisão decretada hoje (22) na nova etapa da Operação Lava Jato, mas os mandados não foram cumpridos porque ambos estão na República Dominicana.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.