Morre, aos 66 anos, o sindicalista José Ibrahim

O corpo do sindicalista foi encontrado em seu apartamento, na capital paulista. Ainda não há informações sobre a causa da morte, mas há suspeitas de que ele tenha sofrido um enfarte.

O sindicalista José Ibrahim faleceu na manhã desta quinta-feira, aos 66 anos, em São Paulo. Em 1968, ele liderou a primeira grande greve após o golpe militar de 1964, a frente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Osasco. Membro da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), Ibrahim foi um dos 15 presos políticos trocados pelo embaixador dos Estados Unidos Charles Burke Elbrick, em setembro de 1969. Preso e torturado na época do regime militar, ele viveu dez anos no exílio.

O corpo do sindicalista foi encontrado em seu apartamento, na capital paulista. Ainda não há informações sobre a causa da morte, mas há suspeitas de que ele tenha sofrido um enfarte.

Segundo a União Geral dos Trabalhadores (UGT), onde ele ocupava o cargo de secretário de Formação Política, o corpo do sindicalista será velado durante a noite desta quinta na Assembleia Legislativa de São Paulo. O sepultamento deve ocorrer na tarde de sexta-feira, 3, no cemitério Bela Vista em Osasco (SP). A entidade divulgou nota de pesar pelo falecimento e disse que o 'movimento sindical está de luto' pela perda de um de seus 'pilares'.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.