sexta-feira, 16 de Outubro de 2015 10:13h Atualizado em 16 de Outubro de 2015 às 10:15h. Jotha Lee

Movimento pela ética na política será transformado em organização não governamental

Nova entidade terá como um de seus principais objetivos a redução salarial dos vereadores

O recém-criado Movimento Brasil Novo, uma iniciativa do empresário Geraldo Barros, definitivamente se estabeleceu em Divinópolis e a cada dia ganha novos adeptos. Com o objetivo de discutir as questões políticas e esclarecer os cidadãos da importância de sua participação na vida pública, o Movimento Brasil Novo estabeleceu como meta inicial uma grande campanha de combate à corrupção e pela redução salarial dos vereadores.
O movimento contabiliza hoje mais de 100 integrantes e uma legião de simpatizantes de todas as classes e tem como meta resgatar a ética na política. “Esse movimento tem uma programação muita extensa, são vários serviços dentro desse projeto. Entre esses serviços, estamos com um programa de politizar, para conscientizar o eleitor de que a política com ética e honestidade é necessária”, esclarece Geraldo Barros.
A proposta inicial de Geraldo Barros era um movimento popular, com reuniões periódicas para traçar planos e estabelecer metas, além de discutir os principais problemas da cidade. Entretanto, a importância das questões propostas e a respeitabilidade e independência política do empresário, deram grande amplitude à iniciativa, atraindo cidadãos que representam com dignidade os anseios populares, exigiram a transformação do movimento em uma organização não governamental (ONG).
Em função dessa expansão, o movimento foi transformado na ONG Instituto Brasil Novo, que será legalmente constituída no próximo dia 26, quando ocorrerá a posse de sua primeira diretoria, tendo como presidente o delegado da Polícia Federal, Willian Nascimento, e o empresário Geraldo Barros, responsável pelo surgimento da ONG, ficará na vice-presidência. Também farão parte da diretoria Sérgio Ricardo (Diretor Financeiro), Guilherme Duarte (Diretor Jurídico), Paulo Oliveira (Diretor de Projetos) e Eugênio Guimarães (Diretor de Comunicação).

 

OBJETIVOS
Segundo Geraldo Barros, a ONG terá vários objetivos, porém a principal meta é a defesa dos interesses da população em relação as políticas públicas. “Vamos ouvir as denúncias de corrupção e encaminhá-las para os órgãos competentes para apuração. Promover uma ampla discussão junto à população sobre os gastos financeiros da Câmara dos Vereadores”, explica.
Para Geraldo Barros, a sociedade civil desorganizada é facilmente manipulada. “Um dos trabalhos será restaurar a imagem política e descobrir novos líderes para os cargos eletivos. Há muito trabalho a fazer e precisamos unir todas as pessoas do bem para levar o projeto adiante”, analisa. “Nosso objetivo é filiar dez mil pessoas na primeira etapa até junho de 2016 e posteriormente chegar a trinta mil filiados até 2018”, acrescenta.
Para facilitar a participação popular, o Instituto Brasil Novo vai abrir inscrições pela internet, conforme explicou o empresário. Segundo ele, a ONG vai facilitar o acesso de todos os divinopolitanos aos seus projetos e informações e, principalmente, oferecer condições para que os interessados em participar diretamente do projeto possam ter acesso fácil e rápido ao seu conteúdo através da rede mundial de computadores.
A posse da diretoria, marcada para o próximo dia 26, ocorrerá no auditório da Câmara de
Dirigentes Lojistas (CDL) e será aberta a todo cidadão interessado em discutir com seriedade os problemas e questões políticas da cidade. Durante o evento da posse haverá duas palestras. O prefeito da cidade de Cláudio, José Rodrigues, falará sobre Gestão Pública e Geraldo Barros discorrerá sobre Educação Política.
Uma das primeiras ações do Instituto Brasil Novo, será uma campanha com o objetivo de reduzir o salário dos vereadores de Divinópolis, que hoje está em R$ 10,5 mil. Já é consenso entre os principais líderes da organização, que esta é uma despesa que ultrapassa a capacidade do município e que será uma grande contribuição aos cofres públicos a redução deste valor.
De acordo com o artigo 3º do estatuto da entidade “são finalidades do Instituto Brasil Novo, sem conotação político-partidária, o combate à corrupção em todas as esferas da administração pública e a conscientização da população quanto ao combate à essa corrupção”. Ainda segundo o estatuto, o Instituto trabalhará no combate “às práticas nocivas na administração pública (improbidade administrativa, desvio de finalidade dos serviços prestados à população, má gestão da máquina pública, assédio moral, assédio sexual, dentre outras)”.

 

Créditos: Arquivo/GO

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.