segunda-feira, 2 de Setembro de 2013 07:18h Carla Mariela

Município implantará “Bairro empreendedor”

A cidade tecnológica foi um dos assuntos abordados pelo secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo César dos Santos

O secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo César dos Santos, ressalta quais os trabalhos que serão ainda realizados e qual suporte esta secretaria está dando para o Poder Executivo de Divinópolis.
Paulo César relata que a secretaria de Desenvolvimento Econômico tem a função de fomentar o crescimento da cidade, uma vez que atua prioritariamente e estrategicamente nas articulações para que o desenvolvimento em áreas, tanto industrial, quanto empresarial, dentre outras; ocorra.

 


O secretário disse que além do suporte ao Executivo, a secretaria tem o contato contínuo com entidades como: ACID, CDL, Fiemg. Segundo ele, parcerias já foram preestabelecidas com estas associações. “Não é só trazer empresas, e sim criar ambientes, clima para que este crescimento aconteça”, afirmou.

 


Sobre os encontros que estão ocorrendo desde que assumiu a secretaria, Paulo César destaca que estes são momentos importantes, na qual escuta e observa o que está ocorrendo em outras cidades, transformando este ato em experiência e como ideia de projetos. O secretário explicou que recentemente participou de um evento realizado pela Frente Nacional de Prefeitos que foi um encontro que surgiu algumas ideias que serão aplicadas em Divinópolis, como por exemplo, uma ideia do próprio prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), que está relacionada com a sala do empreendedor. “Atendemos na secretaria aproximadamente dez pessoas por dia. Esse atendimento é para o pequeno empreendedor. Em um dos encontros conversando com o prefeito ele teve a ideia do bairro empreendedor que nos próximos dias estaremos a colocando em prática”, enfatizou.

 


O bairro empreendedor vai ocorrer da seguinte maneira: o serviço que a secretaria presta será levado ao empreendedor nos bairros de Divinópolis, ou seja, é difícil uma dona de casa que tem uma facção, por exemplo, perder uma tarde para ir até a secretaria para tratar de questões relacionadas com este assunto. A secretaria através de uma equipe preparada e por meio de uma rota vai fazer a visita aos bairros contribuindo com a população.

 


A cidade tecnológica foi outro tema tratado durante entrevista. Paulo César informou que está esperando o resultado da elaboração do Plano Diretor para direcionar os trabalhos. “Atualmente temos uma demanda de empresas que precisam de áreas para implantação ou para expansão. Já estamos providenciando para atender estas empresas. O nosso projeto é que no mais tardar até no meio do ano que vem tenhamos solucionado esta demanda, para que nenhuma empresa possa esperar por oportunidade para se expandir. Em breve teremos esta solução. É verdade que devido aos processos burocráticos, as coisas demoram a acontecer, mas com certeza estamos criando um ambiente e clima para quando estes processos estiverem favoráveis tivermos avanços”, acrescentou.

 


Sobre a diferença entre o cargo de vereador, uma vez que ele fez parte da 22ª Legislatura, ao cargo de secretário, ele disse que o vereador cuida das leis, atende a população no que diz respeito às necessidades legais no âmbito destas leis, também na fiscalização do Executivo. Como secretário ele argumentou que a visão tem que ser mais macro, porque se tratam de classes, entidades que são fundamentais para o desenvolvimento do município. “Basicamente a atuação da secretaria é fazer a interface entre executivo e as entidades visando o fomento”, frisou.

 


Sobre o aprendizado por atuar na secretaria, César completou dizendo que tem sido uma honrosa tarefa, algumas situações já estão resolvidas e outras estão havendo à luta para serem solucionadas, como por exemplo, a situação do aeroporto. “Temos avançado em algumas áreas e a gente está conseguindo apesar das dificuldades das prefeituras, pois a cada dia que passa o governo federal coloca mais obrigações e trabalho para a administração municipal e retiram condições financeiras, isso tem dificultado bastante, salvo algumas que tem arrecadação diferente, como, por exemplo, Ipatinga. Temos conseguido também alguns avanços com relação ao hospital, centro administrativo. Tem sido uma boa experiência”, concluiu.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.