quinta-feira, 26 de Janeiro de 2012 13:53h Atualizado em 26 de Janeiro de 2012 às 14:00h. Flávia Brandão

Municípios afetados pela chuva receberam orientações dos Governos Federal e Estadual

14 municípios obtiveram informações de acolhimento e captação de recursos

Os municípios, que sofreram com as chuvas, na região Centro-Oeste, e decretaram estado de emergência tiveram encontro, ontem (25), na sede da AMVI, em Divinópolis, para debater com o Governo Estadual (SEDESE), Federal (Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome) e a Associação Mineira dos Municípios (AMM)as ações de auxílio e acolhida as famílias e orientações para captação de recursos financeiros

Quatorze municípios estiveram presentes no encontro e discutiram as ações da Assistência Social, em caso de emergência e calamidade pública a exemplo dos serviços de proteção, como: assegurar acolhimento imediato em condições dignas e de segurança; manter alojamentos provisórios, quando necessário; identificar perdas e danos ocorridos e cadastrar a população atingida; articular a rede de políticas públicas e redes sociais de apoio para prover as necessidades detectadas; promover a inserção na rede socioassistencial e o acesso a benefícios assistenciais.

"Estratégias de intervenção para os municípios, que estão em situação de emergência no âmbito do Sistema Único de Assistência Social - Suas" esse foi o tema que norteou as explanações da superintendente de Políticas de Assistência Social da SEDESE, Maria Juanita Godinho Pimenta e da responsável pelo Departamento de Assistência Social da AMM, Jussara Vieira, sendo que houve a palestra de Aparecida Rodrigues Santos como representante do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS.

A superintendenteMaria Juanita Godinhodestacou que agora que já passou a situação mais grave, onde as chuvas cessaram nos municípios a SEDESE quer nesses encontros orientar os gestores o que Assistência Social pode desenvolver nesse momento. Como exemplo ela cita a forma como os gestores poderão ir buscar os recursos para fazer os atendimentos às famílias ou como os recursos, que já estão em saldo, podem ser reprogramados.“Além de outras ações que a SEDESE fez, nesse momento nos estamos orientando os gestores nessas situações: acolhimento das famílias, buscar propiciar a essa família o aluguel social e ainda a reforma dos equipamentos da assistência que foram danificados”, declarou.

Recursos

Maria Juanitadestacou ainda que todos os gestores alegam que precisam de dinheiro para fazer com que o município sai da situação e o que o Estado vem esclarecer que o problema não ésomente esse, mas sim é preciso ter todas as informações do que lei prevê nessas situações. “Muitos municípios tem saldo em conta e tem pouca informação que podem utilizar esse recurso para situação de emergência”, disse.Ela ressalta que é facultado ao município, quando há o decreto de situação de emergências várias concessões como: contratação temporária de profissionais; aquisição de bens sem licitação.

Encontro

De acordo com a superintendente essa ação de orientação as cidades afetadas irá se estender em cinco regiões do estado mais afetadas: Zona da Mata, região Mucuri, Governador Valadares,Teófilo Otoni, Região Metropolitana e Divinópolis. 

Aparecida Rodrigues dos Santos,coordenadora da Proteção Social Especial da Secretaria de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, ressaltou que a principal dúvida levantada pelos gestores évoltada quase sempre para questão de recursos, mas é importante nesses momentos considerar outros pontos. “O importante agora é pensar no apoio as famílias, também o apoio material, mas de acolher bem essa família, que hoje está desabrigada, mesmo os desalojados. É importante que eles saibam como lidar com a situação e que as equipes estejam qualificadas para esse atendimento porque é uma situação, que tende a perdurar por algum tempo e eles precisam estar preparados”, declarou.

Participação

Participaram do encontro os seguintes municípios: Campo Belo, Divinópolis, Oliveira, Cláudio, Pará de Minas, Formiga, Carmo do Cajuru, Capitólio, Carmópolis, Pains, Conceiçao do Pará, Santo Antonio do Amparo, São Gonçalo do Pará e Japaraíba.    
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.